Saltar para o conteúdo principal da página

Ponte Romana de Longroiva - detalhe

Designação

Designação

Ponte Romana de Longroiva

Outras Designações / Pesquisas

Ponte da ribeira dos Piscos / Ponte Romana de Longroiva(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Ponte

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Guarda / Mêda / Longroiva

Endereço / Local

EN 311
Coitada

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Situa-se sobre um afluente do rio Côa, a ribeira dos Piscos, no lugar da Coitada, entre o lugar de Relva e de Longroiva, a cerca de 2 quilómetros de cada uma destas últimas localidades.
Encontrar-se-á no hipotético traçado de uma via romana entre S. João da Pesqueira passando por Penedono e Longroiva, eventual Langóbriga romana, em direcção a Marialva, a Civitas Aravorum.
Por volta de 1971 foi desafectada do tráfego rodoviário sendo, quase paralelamente, construída uma nova travessia.
Ponte de arco único que arranca de ambas as margens, que se afigura no alçado cortado pelo parapeito que lhe serve para ganhar maior largura, ultrapassando o seu extradorso a tangente do tabuleiro plano, com cerca de 20m de extensão.
O arco é constituído por aduelas regulares e uniformes, dispostas em cunha que dão um ar robusto à edificação. A construção remanescente é em alvenaria de pedra onde se destaca o já referido detalhe do parapeito e das guardas constituídas por grandes blocos paralelepípedos, sendo o pavimento do tabuleiro em lajes de pedra continuando para ambos os lados a calçada.
Supõe-se que o alargamento do tabuleiro se terá efectuado numa fase posterior. Também o aspecto actual da envolvente não beneficia a leitura arquitectónica do monumento, supondo-se mesmo que o assoreamento do ribeiro terá coberto o arranque dos arcos, alterando a imagem e configuração desta ponte. Encontra-se em mau estado de conservação.
(JAM)

Bibliografia

Título

Pontes Antigas Classificadas

Local

Lisboa

Data

1998

Autor(es)

RIBEIRO, Aníbal Soares

Título

Pontes romanas de Portugal

Local

Lisboa

Data

1999

Autor(es)

PINTO, Paulo Mendes