Saltar para o conteúdo principal da página

Conjunto do edifício solarengo, capela e dependências anexas pertencentes às famílias Salles Zuquet e Oliveira Simões - detalhe

Designação

Designação

Conjunto do edifício solarengo, capela e dependências anexas pertencentes às famílias Salles Zuquet e Oliveira Simões

Outras Designações / Pesquisas

Solar da Quinta do Fidalgo / Solar da Quinta do Fidalgo(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Conjunto

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Leiria / Batalha / Batalha

Endereço / Local

Quinta do Fidalgo
Batalha

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 1/86, DR, I Série, n.º 2, de 3-01-1986 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Situada nas imediações do Mosteiro da Batalha, a Quinta do Fidalgo remonta à primeira metade do século XVIII. A construção do solar deveria estar terminada em 1744, uma vez que, nesse ano, o futuro rei D. José aqui esteve hospedado, conforme se pode ler na inscrição patente no portal principal - "O Sereníssimo Princípe D. José M.S. e o sereníssimo S. R. Infante D. Pedro seu irmão se hospedaram e jantaram nesta quinta de Manuel Correia de Mesquita Barba, Cavaleiro Professo na Ordem de Cristo, do Dezembargo de Sua Magestade e actualmente Provedor da Comarca de Lamego, tendo este a honra de lhe assistir, no dia 6 de Maio do anno de 1744".
Propriedade das famílias Salles Zuquete e Oliveira Simões, é natural que o portal principal tivesse exibido o brasão de armas, entretanto desaparecido.
Composto por dois corpos, o Solar é uma construção de linhas sóbrias, bastante distante das edificações solarengas do Norte do país, onde as fachadas são pautadas por grande dinamismo decorativo de cenografia acentuada. Pelo contrário, neste conjunto destacam-se apenas as fachadas Este e Nordeste, onde se rasga o portal de cantaria trabalhada, com frontão interrompido, formado por volutas, e com tímpano em oval, com roseta. Naturalmente, o andar nobre recebeu um tratamento mais cuidado, exibindo um conjunto de janelas de sacada com gradeamento de ferro forjado, rematadas por varanda definida por dois grupos de colunas de cantaria e com tecto de madeira.
No interior, e passando o portal, destaca-se a escadaria de acesso ao piso superior, com balaústres barrocos, de grande imponência.
O Solar foi alvo de uma campanha de obras, já no século XX, que dividiu em dois a casa de habitação, remontando a esta época a abertura do portal Norte e respectiva escadaria de acesso. Já em 1941 foi edificada a capela anexa, de dimensões reduzidas, e as dependências agrícolas foram adaptadas e convertidas em habitações.
Actualmente, a Quinta funciona como Turismo de Habitação, organizando ainda todo um conjunto de eventos variados.
(Rosário Carvalho)

Imagens