Saltar para o conteúdo principal da página

Conjunto do antigo Convento da Ordem de Avis - detalhe

Designação

Designação

Conjunto do antigo Convento da Ordem de Avis

Outras Designações / Pesquisas

Mosteiro de São Bento de Avis
Câmara Municipal de Avis / Mosteiro de São Bento de Avis (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt) / Paço dos Mestres / Câmara Municipal de Avis / Tribunal de Comarca de Avis (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Convento

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Portalegre / Avis / Avis

Endereço / Local

Largo Cândido dos Reis
Avis

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 37 450, DG, I Série, n.º 129, de 16-06-1949 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O lugar de Avis foi doado em 1211 por D. Afonso II à Milícia dos Freires de Évora, fundada em 1175, na condição de aí construírem um castelo e povoarem o espaço que daria origem à vila. Os freires transferiram a sua sede para esta povoação entre os anos de 1214 e 1223, passando posteriormente a denominar-se Ordem de São Bento de Avis.
Nos primeiros anos de estabelecimento na vila alto-alentejana houve da parte dos religiosos uma preocupação evidente com as questões do povoamento. Assim, durante a primeira metade do século XIII foi construído o castelo de Avis, bem como o conjunto conventual onde se sediou a ordem, considerando-se Fernão de Anes, primeiro Mestre de Avis, o grande edificador da vila.
A igreja, dedicada a São Bento, foi reconstruída no início do século XVII segundo um projecto do arquitecto Baltazar Álvares, "(...) o mais importante construtor português da viragem dos séculos [XVI e XVII]" (SERRÃO, Vítor, 2002, p. 210). Pensa-se que o arquitecto terá aproveitado as dimensões do primitivo templo, que originalmente teria uma estrutura de três naves, transformando-a então numa igreja-salão de estrutura chã.
Na mesma época foram ampliadas as dependências conventuais, incluindo o claustro e o novo dormitório de São Lamberto. A capela-mor foi reedificada já no reinado de D. Pedro II, cerca de 1694, mantendo o retábulo de talha dourada. A sacristia, construída no início do século XVI, é a parte mais antiga do templo actual, mantendo a estrutura renascentista.
O conjunto conventual é composto pela igreja, à volta da qual foram construídas a sacristia, o claustro e a antiga residência dos mestres da Ordem de Avis, de um lado, e do lado oposto, a hospedaria, o dormitório e o pátio das cisternas.
Depois da extinção das Ordens Religiosas, as dependências do convento foram vendidas a particulares, e a Câmara Municipal de Avis adquiriu a residência dos mestres da Ordem, instalando neste edifício os Paços do Concelho.
Na época a sede da paróquia foi transferida para a igreja do convento, embora esta tenha sido despojada da maior parte do seu recheio decorativo, tal como o coro-alto de talha dourada, que foi então doado à Academia Real das Ciências de Lisboa.
O conjunto que constitui o Convento de São Bento de Avis encontra-se actualmente descaracterizado, devido à fragmentação espacial de que foi alvo depois de 1834. Sede de uma das ordens militares mais poderosas da sociedade portuguesa, com um papel preponderante no Alto Alentejo medieval, o convento foi completamente modificado no início do século XVII, numa época em que um pouco por todo o país as ordens religiosas transformavam os seus espaços sagrados.
Desta obra reformadora resultou um templo de estrutura maneirista chã de linhas sóbrias, desenhada de acordo com os ditames da Contra-Reforma por um dos melhores arquitectos do tempo, para a qual foi posteriormente executado um programa decorativo erudito de gosto barroco, que bem demonstram o poder económico e social, bem como o esclarecimento artístico, da Ordem de Avis ao longo dos tempos.
Catarina Oliveira
IPPAR/2005

Imagens

Bibliografia

Título

História da Arte em Portugal - o Renascimento e o Maneirismo

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

SERRÃO, Vítor

Título

Inventário Artístico de Portugal - vol. I (Distrito de Portalegre)

Local

Lisboa

Data

1943

Autor(es)

KEIL, Luís

Título

Dicionário de História Religiosa de Portugal

Local

Lisboa

Data

2000

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos Moreira

Título

A Arquitectura do Ciclo Filipino

Local

Vila Nova de Gaia

Data

2009

Autor(es)

SOROMENHO, Miguel