Saltar para o conteúdo principal da página

Casa do Alto e jardim anexo - detalhe

Designação

Designação

Casa do Alto e jardim anexo

Outras Designações / Pesquisas

Casa de Raul Brandão / Casa do Alto (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Guimarães / Nespereira

Endereço / Local

Lugar do Alto
Nespereira

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 28/82, DR, I Série, n.º 47, de 26-02-1982 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A Casa do Alto, como o seu nome indica, situa-se no cimo de uma encosta, possuindo largas vistas sobre um vale de vegetação luxuriante bem característico da região minhota, a pouca distância de Guimarães. Da sua construção primitiva restam apenas as ombreiras e o frontão do portal nobre, rematado por pedra de armas e ornado de merlões quinhentistas, e ostentando em inscrição a data de 1560. Daqui se podem depreender as características da habitação original, contemporânea do Paço de Nespereira, aliás datado do mesmo ano, conforme reza uma inscrição num escudo do seu portal. Trata-se este último de uma casa senhorial ainda constituída por uma zona residencial acrescentada a uma torre já existente, as denominadas "Casas-Torre", um aproveitamento típico de antigas estruturas defensivas medievais, embora com muitas alterações posteriores, e de cuja construção quinhentista, incluindo o muro ameiado, pouco resta. São ambas, ainda assim, memória de uma época de apogeu da localidade, reflectindo o intenso surto construtivo de paços, urbanos e rurais, a partir do século XV e ao longo do século XVI, quando se desenvolveram novas tipologias de residências aristocráticas, muitas das quais compõem a imagem tão particular da própria cidade de Guimarães.
A Casa do Alto, provavelmente em ruína parcial, foi comprada em 1899 pelo escritor Raúl Brandão, que se mudara para Guimarães, e aí casara, poucos anos antes. As obras de remodelação terão decorrido até cerca de 1912, quando Raúl Brandão se muda em definitivo, passando a gravitar toda a sua vida em torno daquela localidade, onde viveu a fase mais produtiva da sua vida literária, embora com prolongadas estadias em Lisboa e noutras cidades. Foi em Nespereira que morreu, a 5 de Dezembro de 1930. A casa que reconstruiu, hoje novamente devoluta, é um edifício com a estrutura típica das quintas do princípio do século XX da região, construídas sobre adegas e dependências anexas distribuídas a toda a largura do edifício. Construção singela, sem particular relevo arquitectónico, distribui-se em U com corpos de dois pisos, e integra um corpo quadrado mais alto, talvez reminiscência de uma antiga torre. Um singelo alpendre com escadaria de pedra deita para o grande jardim murado, muito abandonado, mas onde se encontram ainda tanques e outras estruturas de apoio, incluído vestígios do pomar e da zona ajardinada, certamente composta por um jardim de buxo ao modo das grandes casas do Norte. SML

Imagens

Bibliografia

Título

Guia de Portugal, v.4, t. II : Entre Douro e Minho, Minho

Local

Lisboa

Data

1996

Autor(es)

DIONÍSIO, Sant'Ana