Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja de Santiago de Antas - detalhe

Designação

Designação

Igreja de Santiago de Antas

Outras Designações / Pesquisas

Igreja de Santiago / Igreja Paroquial de Antas / Igreja de São Tiago (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Vila Nova de Famalicão / Antas e Abade de Vermoim

Endereço / Local

- -
Lugar da Igreja

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 42 007, DG, I Série, n.º 265, de 6-12-1958 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Dotado de recursos cinegéticos essenciais à sobrevivência e fixação de comunidades humanas, que o procuraram desde os tempos mais remotos, o território correspondente, na actualidade, ao concelho de Vila Nova de Famalicão encerra variados testemunhos arqueológicos de um passado longínquo, ao mesmo tempo que diversificado e único.
Uma particularidade que não se desvaneceria dos seus horizontes históricos, antes fortalecendo-se à medida que se aproximavam os tempos medievos, fundando-se, em 642 (ou em 674, na opinião de outros autores), e por iniciativa de S. Frutuoso, Bispo de Dume e de Braga, um convento em Santa Eulália de Arnoso, parcialmente destruído pelos mouros, em 1067 e reconstruído por iniciativa de D. Garcia I (1042-1090), Rei da Galiza, ainda que seja de 1156 a data inscrita no tímpano do portal Sul. Entretanto, o mosteiro foi agremiado em 1495 ao convento beneditino de Pombeiro, por ordem de D. Jorge da Costa, arcebispo de Braga entre 1486 e 1501 (Igreja de Santa Eulália do Mosteiro de Arnoso, 1958, p. 8), antes de os frades Jerónimos de Belém tomarem dele posse já em seiscentos.
Mas outros testemunhos de páginas sucessivas da História da formação e consolidação da nacionalidade se erguem na região.
É o caso da "Igreja de Santiago de Antas", construída, ao que tudo indica, em duzentos numa localidade - Antas - com testemunhos documentais datáveis do século XI, tendo pertencido ao Mosteiro dos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho.
De planta simples e despojado de qualquer monumentalidade ou sumptuosidade, acede-se ao interior deste templo inscrito no românico regional através de portal de quatro arquivoltas perfeitas apoiadas em quatro colunelos com capitéis lavrados, encimando-o rosácea poliocular.
No interior, a única nave, extensa, termina em arco triunfal, de acesso à capela-mor, assente em quatro meias colunas e capitéis profusamente decorados com motivos geométricos, vegetalistas e zoomórficos (aves e quadrúpedes), albergando quadros, imagens dos Evangelistas, talha dourada e cobertura em caixotões, com decoração a ouro, resultantes de campanhas ulteriores, nomeadamente das realizadas já em período barroco ("Antas", 1976, p. 98).
[AMartins]

Imagens

Bibliografia

Título

Património Histórico de Vila Nova de Famalicão, Boletim Cultural da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão

Local

Vila Nova de Famalicão

Data

1983

Autor(es)

QUEIROGA, Francisco M. Veleda Reimão

Título

Antas, Tesouros Artísticos de Portugal

Local

Lisboa

Data

1976

Autor(es)

ALMEIDA, José António Ferreira de