Saltar para o conteúdo principal da página

Capela de Nossa Senhora da Conceição - detalhe

Designação

Designação

Capela de Nossa Senhora da Conceição

Outras Designações / Pesquisas

Igreja de Nossa Senhora da Conceição / Capela de Nossa Senhora da Conceição (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Capela

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Beja / Alvito / Vila Nova da Baronia

Endereço / Local

Praça da República
Vila Nova da Baronia

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 67/97, DR, I Série-B, n.º 301, de 31-12-1997 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A igreja de Nossa Senhora da Conceição de Vila Nova da Baronia foi fundada em 1655, conforme data inscrita na fachada, por encomenda de um Sebastião Lopes Toscano. Ergue-se num largo ajardinado, hoje conhecido por Praça da República, definido pelo cruzamento da Rua 5 de Outubro com outra, justamente chamada de Rua de Nossa Senhora da Conceição, ficando-lhe quase fronteiro o pelourinho quinhentista da vila. Trata-se de um edifício singelo, cujo principal interesse artístico reside no revestimento azulejar totalizante do interior.
A fachada principal, rematada por empena triangular, é encimada por um campanário em arco redondo, e flanqueada por pináculos nos cunhais. No frontão rasga-se um óculo redondo, a eixo com o portal, de verga recta e arquitrave de perfil clássico, e o nicho que o encima. Este nicho, em arco redondo, é totalmente forrado a azulejo e abriga uma cruz latina sobre placa quadrangular com uma inscrição votiva: Bendita e louvada seja a Imaculada Conceição da sempre Virgem Maria, Mãe de Deus, Rainha dos Santos e Senhora nossa, concebida sem pecado original 1655 M.F.P. . À esquerda do portal, e no registo térreo, abre-se ainda uma pequena janela quadrada. Ao corpo da nave, rectangular, adossam-se os volumes da capela-mor e da pequena sacristia.
O interior, de nave única, é coberto por abóbada de berço caiada, ao passo que os panos murários se encontram inteiramente revestidos com painéis de azulejos policromos dispostos em tapete. Este revestimento estende-se ao arco triunfal, redondo, ao frontal do altar-mor e à sacristia, onde restam ainda vestígios de uma pintura mural de temática cristológica. Os motivos representados nos azulejos são variados, incluindo aves, motivos vegetais, e padrões geométricos de feição mudéjar; conhece-se uma campanha de obras do século XVIII, quando foram colocados alguns dos painéis, mas outros datarão ainda da centúria de Seiscentos.
SML