Saltar para o conteúdo principal da página

Castro da Lomba do Canho - detalhe

Designação

Designação

Castro da Lomba do Canho

Outras Designações / Pesquisas

Castro da Lomba do Canho (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Castro

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Coimbra / Arganil / Secarias

Endereço / Local

Lomba do Canho
Secarias

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 42 255, DG, I Série n.º 105, de 8-05-1959 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Um dos escassos acampamentos militares romanos arqueologicamente explorados em Portugal, a Lomba do Canho é um sítio sobranceiro ao rio Alva, dominando, por isso, uma larga área envolvente. O sector até agora identificado forma um rectângulo de aproximadamente 400 por 150 metros, no interior do qual se desenvolve um projecto urbanístico nitidamente romano, marcado pela ortogonalidade das suas vias. As construções adaptam-se a esse conceito e a investigação revelou ainda um complexo arquitectónico de grande interesse, de planta quadrangular com cerca de 25 metros de lado, dotado de vários compartimentos, um pátio interior e um sistema de drenagens de água. Seria aqui provavelmente o quartel general do acampamento, semelhante a outros conjuntos já identificados nas províncias romanas da Germânia e da Britânia (FABIÃO, 1993: 190).
Apesar das privilegiadas condições de defesa, o circuito dispôs de uma pequena muralha no lado Sul, que seria provavelmente articulada com outros dispositivos, mas de que ainda pouco se conhece.
Como qualquer local que albergaria uma grande quantidade de efectivos humanos, o acampamento requeria a existência de numerosos espaços de apoio. É nesse sentido que se interpretam alguns compartimentos dedicados à higiene comum e à preparação de alimentos, assim como armazéns, paióis e casernas, estas últimas dotadas de lareiras que serviriam «simultaneamente, como estrutura de aquecimento e de preparação de alimentos» (IDEM: 190-191).
Durante algum tempo, pensou-se que a Lomba do Canho tivesse albergado um povoado indígena, de características proto-históricas, mas quer as estruturas identificadas, quer o espólio resgatado pelas escavações invalidam essa suposição (IDEM: 190). Naturalmente, os artefactos militares são os mais abundantes e significativos, no que constitui um dos maiores conjuntos deste tipo encontrados no mundo romano. Para além disso, subsistem numerosos elementos do quotidiano, como lucernas, cerâmicas diversas e ânforas, algumas de fabrico local.
Pelos dados até agora conhecidos, o acampamento militar teve curta vida, sendo ocupado apenas entre o segundo e o terceiro quartéis do século I a. C. Concebido para protecção e controle das matérias-primas exploradas na região, ao que tudo indica, o abandono do local foi «precipitado e violento», situação ainda não totalmente esclarecida, mas que poderá relacionar-se com as movimentações internas no seio do Império, em concreto a guerra civil em Roma (IDEM: 192).
Paulo Fernandes | DIDA | IGESPAR, I. P.
18.09.2007

Imagens

Bibliografia

Título

Espólio monetário do acampamento romano de Arganil, Trabalhos do Museu Regional de Arqueologia

Local

Arganil

Data

1982

Autor(es)

FARIA, António Marques de

Título

As moedas do acampamento romano da Lomba do Canho (Arganil), Nvmmvs

Local

Porto

Data

1985

Autor(es)

FARIA, António Marques de

Título

Acerca dos projécteis para funda da Lomba do Canho (Arganil), O Arqueólogo Português

Local

Lisboa

Data

1987

Autor(es)

GUERRA, Amílcar Manuel Ribeiro

Título

Escavações no acampamento romano da Lomba do Canho (Arganil): resultados preliminares, Actas del I Congreso Peninsular de Historia Antigua

Local

Santiago de Compostela

Data

1986

Autor(es)

GUERRA, Amílcar Manuel Ribeiro, FABIÃO, Carlos Jorge Soares

Título

Broches-fíbulas em castros portugueses, Zephyrvs

Local

SAlamanca

Data

1958

Autor(es)

NUNES, João de Castro

Título

Fíbulas de tipo Nauheim no castro da Lomba do Canho, em Arganil, Revista de Guimarães

Local

Guimarães

Data

1959

Autor(es)

NUNES, João de Castro

Título

Acampamento romano da Lomba do Canho, Informação Arqueológica

Local

Lisboa

Data

1985

Autor(es)

NUNES, João de Castro

Título

Sob o signo do ramo de ouro virgiliano in: Virgilio e a Cultura Portuguesa, Actas do Colóquio do Bimilenário da Morte de Virgílio

Local

Lisboa

Data

1981

Autor(es)

NUNES, João de Castro

Título

Acampamento militar romano da Lomba do Canho, Arganil: o ponto da situação,Actas do I Colóquio Arqueológico de Viseu

Local

Viseu

Data

1989

Autor(es)

NUNES, João de Castro, GUERRA, Amílcar Manuel Ribeiro, FABIÃO, Carlos Jorge Soares

Título

As lucernas do acampamento militar romano da Lomba do Canho (Arganil), Conímbriga

Local

Coimbra

Data

1999

Autor(es)

NUNES, João de Castro, GUERRA, Amílcar Manuel Ribeiro, FABIÃO, Carlos Jorge Soares

Título

Novos elementos para o estudo da arte castreja em Portugal, Revista de Guimarães

Local

Guimarães

Data

1958

Autor(es)

NUNES, João de Castro

Título

A cerâmica campaniense do acampamento romano da Lomba do Canho (Arganil), CLIO/Arqueologia

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

GUERRA, Amílcar Manuel Ribeiro, FABIÃO, Carlos Jorge Soares

Título

Considerações preliminares sobre a cerâmica comum do acampamento romano da Lomba do Canho, Arganil, Da Pré-História à História. Homenagem a Octávio da Veiga Ferreira

Local

-

Data

-

Autor(es)

-

Título

As ânforas do acampamento Romano da Lomba do Canho, Arganil

Local

-

Data

-

Autor(es)

FABIÃO, Carlos Jorge Soares

Título

O acampamento militar romano da Lomba do Canho (Arganil)

Local

-

Data

-

Autor(es)

NUNES, João de Castro, GUERRA, Amílcar Manuel Ribeiro, FABIÃO, Carlos Jorge Soares

Título

Lomba do Canho (Arganil), História de Portugal, dir. João Medina, vol. 2, pp.190-192

Local

Lisboa

Data

1993

Autor(es)

FABIÃO, Carlos Jorge Soares