Saltar para o conteúdo principal da página

Palácio e Quinta do Correio-Mor - detalhe

Designação

Designação

Palácio e Quinta do Correio-Mor

Outras Designações / Pesquisas

Palácio do Correio-Mor (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt) / Jardins da Quinta do Correio-Mor (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Palácio

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Loures / Loures

Endereço / Local

EN 8 (entre Loures e Pinheiro de Loures)
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 47 508, DG, I Série, n.º 20, de 24-01-1967 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A importância do Correio-Mor e os avultados lucros que advinham desta actividade, desenvolvida durante cerca de 200 anos pela família Gomes da Mata, encontram-se bem expressos no seu Palácio, edificado em Loures no decorrer do século XVIII. A imponência, dimensões e impacto causados por esta construção equivalem, de alguma forma, aos castelos dos responsáveis pelos correios noutros países europeus, como é o caso dos Taxis, que implementaram uma rede de comunicação em todo o império Habsburgo (FERREIRA, 1946; STOOP, p. 32).
O edifício em U, com capela e torre sineira do lado esquerdo (cuja decoração supera, em muito, a relativa austeridade exterior), resulta de várias campanhas de obras, remontando a principal à segunda metade do século XVIII.
Há notícia de casas neste local desde, pelo menos, o século XVI e, no final desta centúria, os Gomes de Elvas alugaram a Quinta da Mata ao mosteiro de Odivelas. De origem judaica, esta família foi nobilitada, em 1606, por Filipe III, na pessoa de Luís Gomes de Elvas Coronel, como recompensa pelos serviços prestados, alterando então o apelido cristão-novo, para Gomes da Mata (TAMAGNINI, 1977, p. 116). Simultaneamente, foi-lhe conferido o cargo de Correio-Mor, o que consolidou a sua importância, até aí apenas de âmbito comercial ou financeiro. Nesta época, as habitações da Quinta, que correspondem à ala Sul do edifício actual, deveriam ser bastante simples, assim se mantendo até ao início de Setecentos (STOOP, p. 34).
As grandes intervenções iniciaram-se, ao que tudo indica, pela capela, cuja torre ostenta a data de 1744. Em todo o caso, estaria terminada, com certeza, dez anos mais tarde, pois foi sagrada pelo Patriarca D. Tomás de Almeida (proprietário do palácio de Santo Antão do Tojal), que faleceu em 1754 (IDEM, p. 155). Posteriormente, foi objecto de novas intervenções, contemporâneas da campanha de obras do Palácio. Estas, terão ocorrido na segunda metade do século XVIII, já depois do Terramoto. José António da Mata de Sousa Coutinho foi o seu impulsionador e, muito embora seja difícil perceber a evolução dos trabalhos, parece certo que a conclusão das diversas intervenções ocorreu, para os jardins e quinta, entre 1765 e 1766 e, para o palácio, em 1766, ainda que, neste último caso, a decoração dos interiores se tenha arrastado até 1790.
A planta em U permite um desenvolvimento mais cenográfico dos volumes (ao gosto barroco), caracterizando parte da arquitectura civil de Setecentos. Dividido em três pisos, o palácio exibe uma série de vãos, cujo ritmo continuo e simétrico, converge, na zona central, de maior imponência. Mais elevada, abre-se, no piso térreo, em dois arcos para deixar passar as carruagens. No interior, para além da fonte cujo anjo tem vindo a ser atribuído a Laprade, ganha especial interesse o vasto conjunto de painéis de azulejo, com representações ornamentais, alegorias às Estações do Ano, cenas de caça, ou cenas marítimas. Destacamos, contudo, a cozinha, pela curiosa iconografia relacionada com a culinária, com pelas de caça pintadas em painéis recortados. Já na capela, os temas profanos conjugam-se com os religiosos e, na entrada, duas figuras de convite recebem os crentes com um anão, ao que parece, um retrato do anão que aqui vivia. Uma referência também para os tectos em estuque, de gosto rocaille. Na Sala da Caça, as pinturas evocativas das Metamorfoses de Ovídio são atribuíveis a José da Costa Negreiros.
Com a passagem do Correio para a Coroa, a família Gomes da Mata foi recompensada a outros níveis, tornando-se condes de Penafiel. Desabitado durante algum tempo, o palácio conheceu grande degradação, tendo acolhido uma espécie de hospital aquando das guerras liberais. Com o regresso do então proprietário, que havia sido o último correio-mor, foram efectuadas algumas obras, mas a geração seguinte acabou por ser obrigada a vender a Quinta devido a problemas financeiros. Pertence à sociedade da Casa Agrícola da Quinta da Mata, desde 1966.
(RC)

Imagens

Bibliografia

Título

Palácios e solares portuguezes (Col. Encyclopedia pela imagem)

Local

Porto

Data

1900

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos

Título

Collecção de memórias relativas às vidas dos pintores, e escultores, architetos, e gravadores portuguezes, e dos estrangeiros, que estiverão em Portugal ...

Local

-

Data

1922

Autor(es)

MACHADO, Cirilo Volkmar

Título

Dom João V e a arte do seu tempo

Local

-

Data

1962

Autor(es)

CARVALHO, Aires de

Título

Quintas e palácios nos arredores de Lisboa

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

STOOP, Anne de

Título

Solares Portugueses

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de

Título

Azulejaria em Portugal no século XVIII

Local

Lisboa

Data

1979

Autor(es)

SIMÕES, J. M. dos Santos

Título

Monumentos e Edifícios Notáveis do Distrito de Lisboa, vol. III (Mafra, Loures e Vila Franca de Xira)

Local

Lisboa

Data

1963

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de, FERRÃO, Julieta, GUSMÃO, Adriano de

Título

O Palácio do Correio-Mor em Loures,Belas Artes, Revista e Boletim da Academia Nacional de Belas-Artes, n.º 31 (2ª série), pp. 101-122

Local

Lisboa

Data

1977

Autor(es)

TAMAGNINI, Matilde Figueiredo

Título

A Mala-Posta em Portugal

Local

Lisboa

Data

1946

Autor(es)

FERREIRA, Godofredo

Título

Dos correios-mores do Reino aos Administradores-Gerais dos Correios e Telégrafos

Local

-

Data

-

Autor(es)

-

Título

Cozinhas. Espaço e Arquitectura

Local

Lisboa

Data

2006

Autor(es)

PEREIRA, Ana Marques