Saltar para o conteúdo principal da página

Solar de Sampaio - detalhe

Designação

Designação

Solar de Sampaio

Outras Designações / Pesquisas

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Solar

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Bragança / Carrazeda de Ansiães / Linhares

Endereço / Local

- acesso pela EN 633
Sampaio

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 5/2002, DR, I Série-B. n.º 42, de 19-02-2002 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O Couto de Linhares foi pertença da família Sampaio desde o terceiro quartel do século XIV, quando D. João I concedeu a Vasco Pires de Sampaio o senhorio de diversos territórios de Trás-os-Montes como recompensa pelos serviços prestados durante a crise de 1383-85 (AGUILAR, 1980, p. 20 e 87). Apesar da permanência nesta região desde tempos tão remotos, o solar que hoje conhecemos foi construído apenas no decorrer do século XVIII. Desconhecem-se as circunstâncias que envolveram a sua edificação mas é possível que estejam associadas a um período de especial importância para a família, pois os volumes compactos com dupla fachada de aparato, onde os dois brasões ocupam uma posição de destaque, testemunham o poder e o prestígio de que gozavam os seus habitantes.
A fachada virada a Sul, de piso único, é marcada pela abertura de duas janelas de moldura recortada e, ao centro, um portal de verga abatida com moldura de volutas e concheados. Neste eixo, encontra-se o brasão dos Sampaio, Tavares e Morais, que interrompe a linha da cornija elevando-a, para envolver a pedra de armas e formar um frontão contracurvado interrompido (LOPES, 1996, p. 27).
A outra fachada, orientada a Oeste, comunga das mesmas pilastras nos cunhais, coroadas por fogaréus, desenvolvendo-se em dois pisos que se abrem para a zona da Quinta. No piso térreo, menos cuidado, cinco portas de arco abatido e, no superior, seis janelas de guilhotina semelhantes à da fachada Sul envolvem a central, de sacada e no eixo da qual se exibe o brasão. Este revela algumas diferenças relativamente ao do outro alçado, com as armas dos Sousas do Prado, dos Tavares e dos Morais (IDEM, p. 25).
(Rosário Carvalho)

Bibliografia

Título

Carrazeda de Ansiães: património artístico

Local

Mirandela

Data

1996

Autor(es)

LOPES, Roger Teixeira

Título

Carrazeda de Ansiães e seu termo: esboço e subsídios para uma monografia

Local

Carrazeda de Ansiães

Data

1980

Autor(es)

AGUILAR, José