Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja matriz de Sousel - detalhe

Designação

Designação

Igreja matriz de Sousel

Outras Designações / Pesquisas

Igreja de Nossa Senhora da Graça, matriz de Sousel / Igreja Paroquial de Sousel / Igreja de Nossa Senhora da Graça(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Portalegre / Sousel / Sousel

Endereço / Local

Largo do Hospital
Sousel

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 473/2010, DR, 2.ª série, n.º 125, de 30-06-2010 (ver Portaria)
Edital de 4-02-2000 da CM de Sousel
Despacho de concordância de 29-05-1990 do Secretário de Estado da Cultura
Despacho de concordância de 21-05-1990 do presidente do IPPC
Parecer de 19-04-1990 do Conselho Consultivo do IPPC a propor a classificação como IIP
Proposta de classificação de 28-06-1989 do IPPC
Processo iniciado em 1985

ZEP

Proposta de 25-03-2010 da DRC do Alentejo para que a ZEP seja definida em fase posterior à classificação, nos termos do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, n.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma)
Devolvido À DRC do Alentejo por despacho de 15-10-2009 do director do IGESPAR, I.P. para junção de mais elementos, nomeadamente fotografias
Proposta de 30-09-2009 da DRC do Alentejo

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Situada no centro da vila, a Igreja Matriz de Sousel, dedicada a Nossa Senhora da Graça, é um templo de planta em cruz latina, composto pelos volumes do corpo da igreja e dos anexos. A fachada principal apresenta um modelo de linhas depuradas, que se destaca pelo gosto vernáculo de cariz regional dividindo-se em dois registos. No primeiro piso rasga-se ao centro o portal de volta perfeita, precedido por plataforma com escadas de mármore, e uma rampa de acessibilidade com guarda de ferro à direita. No segundo registo abre-se uma janela em arco abatido, que ilumina o coro-alto. Do lado esquerdo, saliente em relação ao restante edifício, ergue-se a torre sineira de planta quadrangular, coroada por pináculos, sineira e coberta por cúpula.
O espaço interior divide-se em três naves de quatro tramos cada, assentes sobre colunas toscanas, intercetados por transepto. Ao fundo, o coro-alto assenta sobre quatro arcos, e as paredes laterais são revestidas por painéis de azulejos de padrão policromos de manufatura seiscentista.
Ao longo das naves laterais foram abertas várias capelas. Do lado da Epístola situam-se duas, dedicadas a Nossa Senhora da Conceição, com retábulo de talha do século XVII, e a Santo António, com retábulo pétreo. Do lado oposto, foram edificadas a das Almas, também com retábulo de talha incorporando tela do Juízo Final, e a de São Lázaro, instituída em 1620 por Manuel Pires Antigo. O primitivo retábulo desta capela foi substituído no século XVIII.
As capelas colaterais erguem-se no transepto, com retábulos de talha dourada barroca integrando telas produzidas na mesma época. A capela-mor apresenta ao centro um retábulo de talha dourada e policromada, coroado com a Cruz de Aviz. Nas paredes laterais foram abertas duas portas, uma de acesso à sacristia, a outra que permite a entrada numa segunda dependência.
História
A Igreja de Nossa Senhora da Graça, que é atualmente o templo matriz da vila de Sousel, foi erguida no início do século XVI junto ao antigo castelo, pertencendo então à comenda da Ordem de Avis.
Durante os séculos XVI e XVII, este templo serviu de local de sepultura aos cavaleiros comendadores de Sousel, conservando-se no pavimento do templo muitas das lápides sepulcrais brasonadas, consideradas "um dos núcleos mais importantes da heráldica tumular" do Alto Alentejo (Keil: 1943).
O templo foi sendo renovado ao longo das centúrias seguintes, o que lhe conferiu algum ecletismo. Dos séculos XVII e XVIII datam os elementos decorativos do interior, nomeadamente a talha e os azulejos.
A Igreja Matriz de Sousel foi classificada como de interesse público em 2010.
Catarina Oliveira
DGPC, 2018

Imagens

Bibliografia

Título

Inventário Artístico de Portugal - vol. I (Distrito de Portalegre)

Local

Lisboa

Data

1943

Autor(es)

KEIL, Luís