Saltar para o conteúdo principal da página

Capela do Senhor dos Milagres - detalhe

Designação

Designação

Capela do Senhor dos Milagres

Outras Designações / Pesquisas

Capela do Senhor dos Milagres (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Capela

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Coimbra / Tábua / Tábua

Endereço / Local

Largo do Senhor dos Milagres
Tábua

Bairro dos Milagres
Tábua

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 40 684, DG, I Série, n.º 146, de 13-07-1956 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Localizada no centro de Tábua, no Largo do Senhor dos Milagres, frente à igreja matriz da povoação e ladeada pelo Jardim Sarah Beirão, a Capela do Senhor dos Milagres é um edifício cultual de planta composta por dois volumes: uma profunda capela-mor retangular virada a este, e o corpo da nave de planta octogonal, orientado a oeste.
A fachada principal é rasgada por um portal barroco, delimitado por pilastras laterais e encimado por um exuberante frontão interrompido, em cujo tímpano se rasga um óculo quadrilobado ladeado por conchas e aletas. Os restantes portais, nas duas fachadas contíguas à principal, são mais depurados, sendo encimados por frontão e óculos. Os oito lados da nave são marcados exteriormente por pilastras encimadas por pináculos, assentes sobre uma cornija que percorre todo o edifício.
O corpo da capela-mor é rasgado lateralmente por dois janelos com grades, apresentando a fachada tardoz marcada por duas pilastras laterais, rematadas superiormente por pináculos, colocadas sobre a cornija; ao centro exibe uma sineira vazada com volutas laterais.
No interior, a articulação entre os dois corpos é feita através de um arco triunfal de volta perfeita, com gradeamento de ferro, ladeado por duas capelas com arcos semelhantes, mas mais baixos. Os retábulos laterais, em talha dourada e policromada de gosto rococó, exibem a imagem de Nossa Senhora da Piedade secundada por uma pintura em tábua com a representação do Calvário (retábulo lateral direito), e a imagem de São José, colocada frente a uma pintura em tábua com a representação da Última Ceia (retábulo lateral esquerdo). Entre os três arcos, num registo superior, foram colocados dois púlpitos decorados com grinaldas, que seguem a morfologia de gosto rococó dos retábulos laterais. O retábulo-mor, em talha dourada e policromada, exibe os símbolos da Paixão de Cristo esculpidos, apresentando um trono central com resplendor e uma imagem de Cristo Crucificado.
História
A Capela do Senhor dos Milagres foi edificada em meados do século XVIII, desconhecendo-se no entanto quem foi o seu encomendante, ou a data específica da sua fundação.
Este pequeno templo reflete a tipologia de planta centralizada desenvolvida em Portugal durante a centúria de Seiscentos, ligada à arquitetura dos círculos da corte e à afirmação da nova dinastia dos Bragança, ambos legitimados pelo culto eucarístico, com o qual este género de planta estabelecia uma forte analogia (Varela Gomes: 2001). Contudo, no século XVIII esta ideia foi perdendo importância, e a "planta centralizada era escolhida por razões puramente formais" (IDEM, p. 382).
A Capela do Senhor dos Milagres integra-se num conjunto de ermidas de planta poligonal existentes nas zonas noroeste e oeste do território continental português, como as regiões de Coimbra, Aveiro ou Braga, onde esta tipologia subsistiu na época barroca e tardo-barroca. A solução planimétrica aqui utilizada, composta por uma nave poligonal adossada a uma capela-mor retangular, não deixa de recordar, ainda que em menor escala, outros exemplos semelhantes, como o da igreja do convento de Corpus Christi de Vila Nova de Gaia, de edificação seiscentista.
A Capela do Senhor dos Milagres é um importante marco na vida devocional da povoação de Tábua, recebendo uma festa anual dedicada ao padroeiro quarenta dias depois da Páscoa. O templo está classificado como de interesse público desde 1956.
Catarina Oliveira
DGPC, 2019
(em colaboração com Luís Pedro Ferreira, Câmara Municipal de Tábua)

Imagens

Bibliografia

Título

Arquitectura, Religião e Política em Portugal no século XVII - A Planta Centralizada

Local

Porto

Data

2001

Autor(es)

GOMES, Paulo Varela

Título

Inventário Artístico de Portugal - Aveiro, Beja, Coimbra, Évora, Leiria, Portalegre, Porto e Santarém

Local

Lisboa

Data

2000

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos

Título

Tábua: história, arte e memória

Local

Tábua

Data

2009

Autor(es)

DUARTE, Marco Daniel