Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Linhares - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Linhares

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Linhares(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Guarda / Celorico da Beira / Linhares

Endereço / Local

Largo da Misericórdia
Caçarilhe (Linhares)

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Linhares terá sido habitada deste tempos muito remotos, sendo muito provável que o primitivo burgo medieval se tenha desenvolvido sobre um antigo castro romanizado. A conquista cristã de Linhares foi alcançada ainda no reinado de D. Afonso Henriques, e conduziu a um precoce repovoamento do território, que recebeu o primeiro foral ainda das mãos deste monarca, em data incerta, mas antes de 1169 (data da sua primeira confirmação). A vila seria sede de concelho e comarca durante muito tempo, tendo vários concelhos sob a sua jurisdição. O concelho foi extinto, e anexado ao de Celorico da Beira, do qual é hoje uma freguesia, em 1855.
A antiguidade da ocupação deste território ficou patente na ainda perceptível estrutura medieval da povoação, embora esta tenha atingido o seu período de apogeu no reinado de D. Manuel, do qual restam igualmente vários testemunhos arquitectónicos, entre os quais se inclui o pelourinho.
Este datará dos anos imediatos à outorga de foral novo manuelino, dado em 1510. Ergue-se num largo central da freguesia, junto ao antigo edifício dos Paços do Município e ao célebre fórum romano, que exibe as armas da antiga vila. É composto por um soco de três degraus oitavados, de pedra rusticamente aparelhada, sendo o inferior de dupla altura, sobre o qual se levanta o conjunto da coluna e do remate. A coluna tem fuste prismático, com base quadrada talhada no mesmo bloco, e ornamentada com quatro pequenas esferas nos ângulos. É encimada por uma roca octogonal moldurada, rematada por peanha sobre a qual figura uma esfera armilar com cruz em ferro. Possui semelhanças com vários outros pelourinhos coevos da região. SML

Imagens

Bibliografia

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde

Título

Celorico da Beira e Linhares

Local

Celorico da Beira

Data

1979

Autor(es)

RODRIGUES, Adriano Vasco

Título

Do «modo» gótico ao Manuelino, História da Arte Portuguesa, vol.2

Local

Lisboa

Data

1995

Autor(es)

PEREIRA, Paulo

Título

Linhares. Terra beiroa

Local

Lisboa

Data

1944

Autor(es)

FRANCO, José

Título

Linhares antiga e nobre vila da Beira

Local

Folgosinho

Data

1995

Autor(es)

ABRANTES, Leonel

Título

Linhares : Aspectos históricos

Local

Lisboa

Data

1980

Autor(es)

MOREIRA, Maria da Conceição