Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Ínfias - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Ínfias

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Infías(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Guarda / Fornos de Algodres / Infias

Endereço / Local

Praça de São Pedro
Ínfias

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Ínfias é povoação muito antiga, situada numa região comprovadamente habitada desde o Calcolítico, tendo provavelmente constituído uma civitas romana, situada junto a um cruzamento de estradas do mesmo período. O povoamento cristão do local está referenciado desde o século XIII, existindo referências a alguns dos seus habitantes já em 1248. Chegou a ser abadia da apresentação do Bispo de Viseu. Nunca teve carta de foral, regendo-se pelos forais do concelho de Algodres, ao qual terá pertencido em tempos, antes de ser incorporada em Fornos de Algodres, em 1836. O facto de possuir pelourinho permite supor que em determinada altura chegou a ter categoria de vila, apesar de ter permanecido sempre um diminuto agregado populacional. O pelourinho, de características manuelinas, aponta para um período de considerável autonomia administrativa nas primeiras décadas do século XVI, sabendo-se no entanto que em 1527 a então denominada Emfiaens tinha apenas 30 moradores.
O pelourinho levanta-se sobre um soco de três degraus octogonais, sendo formado por um pilar de fuste também octogonal, liso, com base paralelepipédica. A meio do fuste nota-se a marca do antigo anel de ferro. É encimado por um corpo prismático, ao modo de capitel, assente numa moldura saliente, octogonal, e rematado por uma pequena pirâmide ainda oitavada, com o topo truncado. O bloco de remate exibe um escudo com as cinco quinas lisas, dispostas em aspa. Este pelourinho é bastante semelhante a outros no mesmo concelho, nomeadamente o de Figueiró da Granja. SML

Imagens

Bibliografia

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde