Saltar para o conteúdo principal da página

Calvário de Arouca - detalhe

Designação

Designação

Calvário de Arouca

Outras Designações / Pesquisas

Calvário com cruzes de granito, púlpito, etc., datado de 1643 e mandado fazer pela Irmandade do Senhor dos Passos / Calvário de Arouca (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Conjunto

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Aveiro / Arouca / Arouca e Burgo

Endereço / Local

Rua Dr. Figueiredo Sobrinho
Arouca

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 37 077, DG, I Série, n.º 228, de 29-09-1948 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O Calvário de Arouca designa na realidade um conjunto de seis cruzeiros seiscentistas, em granito, erguidos num maciço rochoso a norte da vila, no cimo da antiga rua da Arca. Junto das cruzes estão ainda implantados um púlpito em granito, e um nicho. O conjunto é completado por três outros cruzeiros, de factura semelhante, dispersos por vários arruamentos, compondo uma Via Sacra que incluía o vizinho Mosteiro e terminava aqui.
Os cruzeiros são compostos por altos pedestais quadrangulares, sobre os quais se elevam pilastras encimadas por capitéis de secção quadrada, suportando singelas cruzes latinas, em granito. O curioso púlpito, de não menos invulgar implantação, é cilíndrico, assentando numa base cilíndrica mais estreita, por sua vez levantada sobre uma plataforma quadrangular. O acesso faz-se através de uma pequena escadaria com cinco degraus. O nicho, ou alminha, possui vão de arco redondo, e é rematado por uma pequena cruz. Todos os elementos se distribuem pelo terreno naturalmente árido e acidentado de forma aparentemente desordenada.
O Calvário e a Via Sacra foram erguidos pela Confraria do Senhor dos Passos, instituída na Igreja (hoje Capela) da Misericórdia de Arouca em 1621. Esta irmandade organizava, desde 1626, a procissão da mesma invocação, que partia do referido templo durante as celebrações da Quaresma, terminando na Capela do Espírito Santo, junto do Calvário. O cruzeiro central (restaurado) possui a data de 1627 inscrita no pedestal, estando o púlpito, por sua vez, datado de 1643. A procissão saiu nos mesmos moldes até 1855, ano em que se passou a chamar de procissão do Senhor Morto. Ainda hoje se efectua este cortejo, também conhecido por procissão dos Fogaréus, na quinta-feira Santa.
As restantes cruzes da Via Sacra encontram-se junto ao Mosteiro de Arouca, na Rua de Santo António, e na via de acesso ao Calvário, junto a uma casa senhorial. Não se encontram incluídas na classificação, embora façam parte do mesmo conjunto monumental. SML

Imagens