Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja de São Luís - detalhe

Designação

Designação

Igreja de São Luís

Outras Designações / Pesquisas

Igreja de São Luís, matriz de Pinhel
Igreja Matriz de Pinhel / Mosteiro de São Luís de Pinhel / Igreja Matriz de Pinhel / Igreja de São Luís(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Guarda / Pinhel / Pinhel

Endereço / Local

Largo D. Cristóvão de Almeida Soares
Pinhel

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 740-CX/2012, DR, 2.ª série, n.º 248 (suplemento), de 24-12-2012 (ver Portaria)
Edital de 20-03-2003 da CM de Pinhel
Despacho de homologação de 27-08-1980
Parecer de 22-08-1980 da Comissão "ad hoc" do IPPC a propor a classificação como IIP
Proposta de classificação de 6-01-1977 da DGPC

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O Convento de São Luís e a sua respectiva igreja foram fundados em 1596 por Luís de Figueiredo Falcão, para albergar uma comunidade de clarissas. Em Dezembro de 1602 o cenóbio foi entregue à Ordem de São Francisco, e no ano seguinte o espaço foi habitado pelo primeiro grupo de freiras, oriundo do Convento de Santa Clara da Guarda.
Em 1797 o Bispo da Guarda D. Bernardo Bernardino Beltrão elevou o templo a catedral, que se manteve como sede de bispado até ao ano de 1881. Depois da proclamação da República, em 1910, o edifício conventual foi repartido por distintas entidades e os seus espaços foram adaptados para receberem um teatro, o tribunal e outras repartições públicas. O espaço da cerca foi transformado num jardim público.
A igreja, que desde 1836 é sede de paróquia, desenvolve-se em planta longitudinal, composta por dois corpos rectangulares adossados, correspondentes aos espaços da nave e à capela-mor, ladeada por anexos e pela sacristia.
A fachada, possivelmente reconstruída no início do século XIX, apresenta ao centro portal com moldura em arco abatido, encimado por janela gradeada. O frontispício é rematado por frontão contracurvado. Do lado direito, foi edificada a torre sineira, executada em 1862 por um mestre local.
O interior é coberto por abóbada de madeira, possuindo do lado da Epístola púlpito de cantaria lavrado. Junto ao arco triunfal foram edificados dois altares colaterais de talha dourada.
O espaço da capela-mor, coberto por tecto de caixotões de madeira pintados com cenas marianas, é decorado com painéis de azulejos polícromos de padrão de manufactura seiscentista. O retábulo-mor de talha dourada, também edificado no início do século XVII, integra ao centro uma tábua com figuração cristológica.
Catarina Oliveira
IPPAR/2006

Imagens

Bibliografia

Título

Portugal antigo e moderno: diccionario geographico, estatistico, chorographico, heraldico, archeologico, historico, biographico e etymologico de todas as cidades, villas e freguezias de Portugal e de grande numero de aldeias...

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, FERREIRA, Pedro Augusto

Título

Pinhel Falcão

Local

Celorico da Beira

Data

1943

Autor(es)

MARTA, Ilídio

Título

O culto de Nossa Senhora na Diocese da Guarda

Local

Lisboa

Data

1948

Autor(es)

BIGOTTE, José Quelhas