Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja de Santa Maria do Castelo - detalhe

Designação

Designação

Igreja de Santa Maria do Castelo

Outras Designações / Pesquisas

Igreja de Santa Maria do Castelo / Igreja de Nossa Senhora do Castelo(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Guarda / Pinhel / Pinhel

Endereço / Local

-- --
Pinhel

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 5/2002, DR, I Série-B. n.º 42, de 19-02-2002 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A igreja de Santa Maria do Castelo de Pinhel implanta-se no centro histórico da vila, dentro das muralhas góticas que D. Dinis mandou reformular. Foi o principal templo da localidade durante a Idade Média, situando-se a construção actual pelos séculos XIII-XIV, provavelmente na mesma altura em que o grande estaleiro militar do castelo estava em plena actividade.
Estilisticamente, é uma obra arcaizante, conotada ainda com o aspecto compacto das edificações românicas. A fachada principal, de pano único e empena triangular, é rasgada axialmente por portal de arco apontado, dotado de impostas salientes e sumariamente decoradas com molduras horizontais. A secção superior da frontaria é posterior, com aparelho construtivo diferenciado que integra óculo circular a eixo. Não restam dúvidas de que a fachada foi intervencionada durante a época moderna, uma vez que, do lado direito do portal, rasga-se um janelão rectangular, em forma de púlpito para o exterior do edifício, semelhante a outros que decoram algumas igrejas da região. A própria torre sineira, que limita o alçado meridional, parece ser posterior, com recurso a aparelho construtivo distinto e remate superior que não acompanha a linha de repouso da empena da frontaria.
O interior é de nave única coberta por tecto de madeira, em forma de caixotões policromados de época barroca. A capela-mor, rectangular, conserva um interessante conjunto de pintura seiscentista, composto por catorze tábuas alusivas a cenas da Virgem Maria. Do século anterior, e provavelmente procedente do retábulo quinhentista do templo, são duas outras obras pictóricas, representando a Fuga para o Egipto e Nossa Senhora da Conceição. Ainda no interior, conserva-se uma escultura quatrocentista, dedicada às Santas Mães, obra realizada nos ateliers de Coimbra e atribuída à oficina da família Diogo Pires, eventualmente da primeira fase.
A importância religiosa do local onde se implanta a igreja é atestada pela presença de uma necrópole baixo-medieval, intervencionada arqueologicamente por Pilar Reis e cujas conclusões preliminares apontam para uma ocupação prolongada, entrando bem na Idade Moderna.
PAF

Imagens