Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja da Misericórdia de Algodres - detalhe

Designação

Designação

Igreja da Misericórdia de Algodres

Outras Designações / Pesquisas

Igreja da Santa Casa da Misericórdia de Algodres(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Guarda / Fornos de Algodres / Algodres

Endereço / Local

- -
Algodres

Proteção

Situação Actual

Em Vias de Classificação

Categoria de Protecção

Em Vias de Classificação (Homologado como IIP -...

Cronologia

Despacho de homologação de 5-07-1990

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Instituída em 1621, a Misericórdia de Algodres só teve igreja própria no século XVIII, época a que se pensa remontar o templo que hoje conhecemos. Implantado num largo com um cruzeiro e junto à matriz, obedece, assim, à localização tradicional destas irmandades, nas proximidades dos principais centros do poder político e religioso.
Não se sabe, ao certo, em que ano foi edificada a igreja, mas uma antiga tradição afirma que esta foi construída no mesmo local e com as pedras provenientes do antigo castelo, cuja existência e configuração permanece, também, por esclarecer.
De linhas depuradas, destaca-se a fachada principal, pelo tratamento mais cuidado relativamente às restantes. Do lado direito encontra-se adossada a sineira, delimitada por pilastras e apenas aberta pelas duas sineiras já ao nível da empena da igreja. Do lado oposto, o edifício da Santa Casa, que comunica com o interior do templo através da tribuna dos mesários. O frontispício da igreja, em empena, apresenta portal de verga recta, encimado por frontão contracurvado, interrompido por um elemento concheado e encimado por um óculo quadrilobado. À esquerda, uma porta em arco abatido ao nível da metade superior do portal, abre para um púlpito exterior conhecido como a Varanda de Pilatos, que recebeu um apendre de protecção já em meados do século XX.
No interior, de nave única com tecto de madeira, encontram-se dois altares de talha dourada e policromada, do final do século XVIII, o coro alto e a tribuna, a que se acede por escada de lanço único, e o retábulo-mor, de talha dourada joanina, anterior aos restantes e, com certeza, contemporâneo da edificação do templo.
(Rosário Carvalho)

Bibliografia

Título

Diocese e Distrito da Guarda

Local

Porto

Data

1902

Autor(es)

CASTRO, José Osório da Gama e

Título

Terras de Algodres - Concelho de Fornos

Local

Lisboa

Data

1938

Autor(es)

MARQUES, Monsenhor Pinheiro

Título

Retábulos das Misericórdias Portuguesas

Local

Faro

Data

2009

Autor(es)

LAMEIRA, Francisco