Saltar para o conteúdo principal da página

Castro de Nandufe - detalhe

Designação

Designação

Castro de Nandufe

Outras Designações / Pesquisas

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Castro

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viseu / Tondela / Tondela e Nandufe

Endereço / Local

-- --
Nandufe

Proteção

Situação Actual

Em Vias de Classificação

Categoria de Protecção

Em Vias de Classificação (com Despacho de Abertura)

Cronologia

Anúncio n.º 5/2018, DR, 2.ª série, n.º 6, de 9-01-2018 (ver Anúncio)
Despacho de 16-06-2017 do Ministro da Cultura a autorizar a abertura de novo procedimento de classificação
Despacho de concordância de de 19-04-2017 da diretora-geral da DGPC
Informação favorável de 5-07-2016 da DRC do Centro
Requerimento de 19-03-2013 da CM de Tondela para a abertura de novo procedimento de classificação
Procedimento caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma) , alterado pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Edital de 18-10-1991 da CM de Tondela (informa incorrectamente ter sido homologada a classificação como VC, quando o despacho de homologação foi como IIP)
Despacho de homologação de 14-02-1989 da Secretária de Estado da Cultura
Parecer favorável de 30-01-1989 do Conselho Consultivo do IPPC
Proposta de 25-11-1988 do SRAZC para a classificação como IIP
Nova proposta de classificação de 10-05-1987
Proposta de classificação de 11-07-1985

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Localizado no topo de um esporão sobranceiro ao rio Dinha, a trezentos metros de altura, o "Castro de Nandufe" foi erguido durante a Idade do Ferro desta região do actual território português.
A sua implantação geográfica segue, no fundo, o modelo observado noutros povoados, ditos "fortificados", do Centro e Norte do país, onde pontua uma nítida preocupação de seleccionar contextos revestidos de boas condições naturais de defesa, nas quais sobressaía, como seria de espera, o domínio visual sobre uma vasta extensão dos espaços envolventes, ao mesmo tempo que a existência de recursos essenciais à permanência autónoma de uma determinada comunidade humana, ao longo de um período mais ou menos extenso. E, como se compreenderá facilmente, privilegiava-se, de entre estas potencialidades cinegéticas, a proximidade das hídricas, até como via de comunicação, por excelência, com outras populações e territórios com os quais pudessem manter algum tipo de relacionamento, pois o actual termo do concelho de Tondela desfrutava de um substrato Neo-calcolítico evidenciado pelos monumentos megalíticos funerários identificados até ao momento.
Não podemos, no entanto, secundarizar um factor tão importante para o entendimento genérico deste fenómeno, que é, na verdade, a deslocação dos povoados para posições de altura, por representar, muito possivelmente, a emergência de um período de profundas transformações no tecido social das populações preexistentes. Com efeito, e de um ponto de vista genérico, o início da Idade do Ferro caracteriza-se pelo "[...] aparecimento e difusão da siderurgia, pelo nascimento de uma arte decorativa essencialmente geométrica, pela expansão de ritos funerários de incineração e pela construção e progressiva consolidação de uma estrutura social hierárquica dominada pelos chefes da classe militar predominantemente estabelecidos em povoados de carácter defensivo." (COELHO, A. C. F. da, 1990, p. 259).
As escavações conduzidas no sítio permitiram, entretanto, visualizar troços da primitiva linha de muralha levantada com material pétreo de grandes dimensões e irregularmente aparelhado, e que, tal como sucede nos demais exemplares da denominada cultura castreja, deveria delimitar, na origem, toda a área habitacional, na qual foram recolhidos alguns pesos de tear e mós datáveis da Idade do Ferro.
O facto de já não serem visíveis indícios das primitivas estruturas habitacionais resultará, muito provavelmente, do reaproveitamento do seu material para construção de outras edificações, designadamente residenciais, ao mesmo tempo que dos muros de demarcação das propriedades aí existentes. Uma circunstância que ainda se verificava em meados do século XVIII, altura em que foi registada por um pároco local, certamente inspirado no movimento de (re)descoberta das riquezas artísticas e arqueológicas locais e/ou regionais que distinguiu boa parte da Época das Luzes europeia.
De assinalar será ainda o facto de o povoado ter sido, tal como noutros testemunhos castrejos, reocupado já no período de ocupação romana, numa clara evocação da sua valência estratégica no seio do novo quadro administrativo emanado de Roma, ao mesmo tempo que das excelentes condições de (sobre)vivência que proporcionava a todos quantos o escolhiam. Esta presença romana encontra-se bem representada nos característicos materiais de construção, como tegulae e imbrices, a par de fragmentos cerâmicos e de alguns numismas atribuídos ao período Imperial (séculos I e II d. C.), a asseverar, no fundo, o carácter de longa permanência das estruturas então erigidas.
Para mais, correria, precisamente, pelos limites de Nandufe a fronteira entre as civitates de Bobadela e Viseu, eventualmente respeitando a zona mais densamente ocupada pelas comunidades humanas, bem expressa na elevada concentração de castros aqui assinalada (ALARCÃO, J., 1990, p. 379).
[AMartins]

Imagens

Bibliografia

Título

O Reordenamento Territorial, Nova História de Portugal: Portugal das origens à romanização

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

ALARCÃO, Jorge Manuel N. L.

Título

Roteiro dos Monumentos Militares Portugueses

Local

Lisboa

Data

1948

Autor(es)

ALMEIDA, João de

Título

A Idade do Ferro em Portugal, Nova História de Portugal

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

SILVA, Armando Coelho Ferreira da

Título

A consolidação do sistema agro-pastoril, Nova História de Portugal

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

JORGE, Susana de Oliveira

Título

A Terra de Besteiros e o Actual Concelho de Tondela

Local

Tondela

Data

1981

Autor(es)

CARVALHO, Amadeu Ferraz de

Título

A Pré-história na Beira Interior

Local

Tondela

Data

1997

Autor(es)

VILAÇA, Raquel Maria da Rosa

Título

Roteiro Arqueológico da Região de Turismo Dão Lafões

Local

Viseu

Data

1994

Autor(es)

VAZ, João Luís da Inês, PEDRO, Ivone dos Santos da Silva, ADOLFO, Jorge