Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Frechas - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Frechas

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Frechas (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Bragança / Mirandela / Frechas

Endereço / Local

Largo do Pelourinho
Frechas

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Frechas foi vila e sede de concelho. Terá recebido primeiro foral de D. Dinis, em data incerta; mas apenas se conhece com certeza o foral dado por D. Manuel, em 1513. O concelho foi extinto em 1836, sendo integrado em Mirandela, do qual é actual freguesia. Conserva um pelourinho, certamente construído na sequência do foral manuelino, e levantado num largo da povoação.
O pelourinho assenta em plataforma de cinco degraus de planta quadrangular, de aresta. A base da coluna é cilíndrica e lisa, com quatro peças salientes que parecem ligá-la ao degrau superior, ao modo de garras, e duas molduras superiores octogonais. O fuste tem secção octogonal, com decoração de florões e meias esferas em faces alternadas. O capitel tem secção idêntica à da coluna, com quatro faces prolongadas em braços semelhantes a cachorros, dispostos em cruz, e rematados por carrancas e florões. Os braços, dos quais um se encontra mutilado, situam-se a eixo das faces lisas do fuste. O remate é constituído por um prisma quadrangular com faces inteiramente lavradas. Em duas faces opostas encontra-se um escudo das quinas e as armas dos Sampaios, antigos donatários da vila, e nas restantes pode ver-se uma figura feminina de mãos postas, e dois rostos, um deles com barba e coroa, de recorte arcaizante. Este bloco é encimado por um pequeno cilindro lavrado.
O monumento pertence aos pelourinhos de tipo bragançano, caracterizados pelos capitéis de braços salientes, muito frequentes na região. Os mais interessantes, para comparação, serão os de Algoso, Chacim, Outeiro e Vale de Prados.
Sílvia Leite

Imagens

Bibliografia

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde