Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja Matriz de Moimenta, incluindo todo o seu recheio - detalhe

Designação

Designação

Igreja Matriz de Moimenta, incluindo todo o seu recheio

Outras Designações / Pesquisas

Igreja de São Pedro, matriz de Moimenta, incluindo todo o seu recheio / Igreja Paroquial de Moimenta / Igreja de São Pedro (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Bragança / Vinhais / Moimenta e Montouto

Endereço / Local

-- -
Moimenta

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 516/71, DG, I Série, n.º 274, de 22-11-1971 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

As origens da igreja matriz de Moimenta remontam ao século XIV, mas o edifício que hoje se conhece resulta da campanha de obras efectuada no final do século XVII. O templo original, que desde 1545 pertencia à Diocese de Miranda, apresentava dimensões reduzidas, facto que deverá ter conduzido à sua ampliação seiscentista, levantando-se então, as torres sineiras. Não se conhece ao certo a data em que a remodelação estaria concluída, mas uma Visitação de 1705 deixa adivinhar que, neste ano, já os trabalhos de arquitectura tinham terminado. A campanha decorativa prolongou-se, depois, até meados do século.
De planta longitudinal, a igreja desenvolve-se em três nave e capela-mor. A fachada principal é flanqueada por duas torres que, muito largas e altas, reduzem ainda mais a zona central, onde se abre o portal, de verga recta, encimado por amplo frontão triangular. As torres apresentam três frestas e a sineira é em arco de volta perfeita, coroando-as uma cúpula semi-esférica. São unidas por uma balaustrada que remata a pano central do alçado. A sua composição, ainda que menos imponente, não deixa de recordar a fachada da antiga Sé de Miranda do Douro.
No interior, de três naves separadas por arcos de volta perfeita assentes sobre pilares facetados, ganham especial interesse os retábulos de talha dourada. O de Santo António foi realizado cerca de 1720, o de Santo Cristo na década de 1730 e na de 1740 o e Nossa Senhora da Expectação. Já o de Nossa Senhora do Rosário é proveniente de uma capela extinta.
Na capela-mor, com tecto de caixotões de talha dourada com representações de cenas da vida de Cristo, destaca-se o retábulo, com nicho central e dois laterais, dourado no decorrer do primeiro quartel do século XVIII.
A talha dourada do interior encontra-se circunscrita aos retábulos das diversas capelas e altares, tornando-se mais expressiva na capela-mor, pois o retábulo ocupa a totalidade da parede fundeira e os caixotões do tecto são também dourados, com a particularidade de, do lado do Evangelho, se prolongarem uma fiada pela parede. O restante espaço é bastante depurado. O mesmo acontece relativamente ao exterior, de linhas simples, mas com uma monumentalidade que se destaca e impõe ao casario circundante.
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

Moimenta - Igreja Matriz: nótulas histórico-geográficas

Local

Braga

Data

1998

Autor(es)

AFONSO, Francisco José