Saltar para o conteúdo principal da página

Aldeia de Castelo Mendo - detalhe

Designação

Designação

Aldeia de Castelo Mendo

Outras Designações / Pesquisas

Povoação de Castelo Mendo / Aldeia de Castelo Mendo(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Aldeia

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Guarda / Almeida / Castelo Mendo, Ade, Monteperobolso e Mesquitela

Endereço / Local

-- -
Castelo Mendo

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 29/84, DR, I Série, n.º 145, de 25-06-1984 (ver Decreto)
Despacho de concordância de 20-02-1982 do Secretário de Estado da Cultura
Novo parecer de 16-02-1982 da Comissão "as hoc" do IPPC a esclarecer o parecer anterior
Despacho de concordância de 28-04-1981 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer de 21-04-1981 da Comissão "as hoc" do IPPC a propor a classificação como IIP
Proposta de classificação de 13-01-1981 da DGEMN

ZEP

Nova proposta de 13-09-2016 da DRC do Centro, de acordo com o disposto no Decreto-Lei n.º 309/2009, de 23-10-2009 (com as restrições a fixar)
Edital de 1-06-1984 da CM de Almeida
Despacho de concordância de 20-02-1982 do Secretário de Estado da Cultura
Novo parecer de 16-02-1982 da Comissão "as hoc" do IPPC a esclarecer o parecer anterior
Despacho de concordância de 28-04-1981 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer de 21-04-1981 da Comissão "as hoc" do IPPC

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A povoação de Castelo Mendo desempenhou, desde o início do século XIII, um papel fundamental na defesa da fronteira do território nacional, pelo que em 15 de Março de 1229 D. Sancho II doou-lhe o primeiro foral, datando possivelmente dessa época a edificação primitiva do "reduto muralhado", que protegia a população e incentivava o crescimento populacional (BORGES,1998).
Em 1281 D. Dinis confirmou o foral dado por D. Sancho II e instituiu uma feira na aldeia (BARROCA,2000,p. 228), mandando aumentar o perímetro defensivo.
A partir de então, o desenvolvimento urbano de Castelo Mendo ficou claramente marcado por dois núcleos distintos, o burgo velho, uma área de forma oval que integra o edifício do castelo e a igreja de Santa Maria, e o burgo novo, de traçado irregular delineado pelas muralhas dionisinas, cuja malha urbana se foi desenvolvendo entre os séculos XIV e XVII. Os dois núcleos diferenciam-se pelo volume da malha urbana, uma vez que a zona mais antiga da povoação apresenta uma ocupação mais diluída.
Como elemento de ligação entre as duas áreas, foi edificada no século XVII sobre a linha de muralhas, junto à porta primitiva da povoação, a Casa da Câmara, um edifício de gosto maneirista cuja estrutura no entanto não se afasta da tipologia dominante na aldeia, distinguido-se a varanda alpendrada e o espaço térreo, que servia de cadeia local.
A zona baixa de Castelo Mendo, correspondente ao burgo novo foi-se desenvolvendo em volta das duas igrejas aí edificadas, São Pedro, sede de paróquia destinada ao povo (BORGES, 1998), e São Vicente, o templo dos nobres locais, onde a partir de meados do século XVII passou a funcionar a Misericórdia (Idem, ibidem). Estes dois templos foram fundados no início do século XIV, e a sua implantação, que originou a formação de dois largos distintos na zona nova da aldeia, foi determinante para a consolidação do traçado urbano da povoação a partir desta época.
Os quarteirões que formam a malha urbana da zona nova desenham-se de forma muito irregular, acompanhando o desenho da cintura exterior formada pelas muralhas. Em 1510 D. Manuel renovou o foral da povoação, sendo depois construído um pelourinho, na praça fronteira à matriz de São Pedro.
A tipologia dominante neste núcleo é o modelo beirão, uma casa de planta rectangular dividida por dois pisos, sendo o piso térreo ocupado pela denominada loja, destinando-se o segundo às divisões habitacionais. No entanto, no conjunto habitacional de Castelo Mendo destacam-se alguns edifícios, quase todos edificados no século XVI, cujos programas decorativos das fachadas demonstram a actualização do núcleo social da aldeia com a linguagem decorativa mais erudita utilizada na época na arquitectura civil portuguesa.
Edificado sobretudo nas zonas nobres da malha urbana, como a Rua Direita ou o Largo de São Vicente, este conjunto demonstra a evolução do decorativismo arquitectónico quinhentista, iniciando-se com as janelas manuelinas e evoluindo, em meados do século XVI para a edificação de varandas alpendradas nas fachadas principais. Em finais da centúria, e nos primeiros anos do século XVII as casas edificadas adoptam modelos de gosto maneirista, com fachadas de linhas clássicas, pontuadas pela horizontalidade dos volumes e pela disposição das fenestrações e portais a espaços regulares.
Até à actualidade, a aldeia de Castelo Mendo manteve intacta a estrutura urbana medieval, sendo curiosa a ausência de arrabaldes fora do perímetro muralhado. Entre os séculos XV e XVII a evolução do núcleo habitacional faz-se não através do crescimento do perímetro urbano, mas antes por meio da actualização dos modelos edificativos, que no entanto não comprometeu a malha urbana original.
Catarina Oliveira
GIF/IPPAR/3 de Fevereiro de 2006

Imagens

Bibliografia

Título

Portugal antigo e moderno: diccionario geographico, estatistico, chorographico, heraldico, archeologico, historico, biographico e etymologico de todas as cidades, villas e freguezias de Portugal e de grande numero de aldeias...

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, FERREIRA, Pedro Augusto

Título

Corografia Portuguesa e descripçam topographica do famoso Reyno de Portugal

Local

Lisboa

Data

1712

Autor(es)

COSTA, Pe. António Carvalho da

Título

O Livro das Fortalezas de Duarte Darmas (edição anotada)

Local

Lisboa

Data

1943

Autor(es)

ALMEIDA, João de

Título

Aspectos da evolução da arquitectura militar da Beira Interior, Beira Interior - História e Património, pp.215-238

Local

Guarda

Data

2000

Autor(es)

BARROCA, Mário Jorge

Título

Castelo Mendo, Estudo de Recuperação Urbana e Arquitectónica

Local

Lisboa

Data

1979

Autor(es)

SILVA, José Antunes

Título

Castelo Mendo, um Conjunto Histórico a Preservar

Local

Braga

Data

1995

Autor(es)

CARVALHO, Amorim de

Título

Três Jóias Esquecidas, Marialva, Linhares e Castelo Mendo

Local

Castelo Branco

Data

1993

Autor(es)

NEVES, Vítor Pereira

Título

Castelos da Raia Vol. I: Beira, 2ªed.

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

GOMES, Rita Costa

Título

Castelo Mendo: o sonho de um rei

Local

Almeida

Data

1998

Autor(es)

BORGES, Moutinho

Título

Castelo Mendo: a partir de um espaço urbano medieval, Beira Interior. História e Património, pp.301-314

Local

Guarda

Data

2000

Autor(es)

CONCEIÇÃO, Margarida Tavares