Saltar para o conteúdo principal da página

Casa da Rua Nova, construção do século XVIII, de arquitectura solarenga, com características regionais - detalhe

Designação

Designação

Casa da Rua Nova, construção do século XVIII, de arquitectura solarenga, com características regionais

Outras Designações / Pesquisas

Casa de Cima / Casa de Cima na Rua Nova (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Coimbra / Lousã / Lousã e Vilarinho

Endereço / Local

Rua das Forças Armadas
Lousã

Rua Nova (gaveto)
Lousã

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 37 366, DG, I Série, n.º 70, de 5-04-1949 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Edificada por Diamantino Arnau de Almeida Serra, irmão do fundador da Casa de Baixo da Rua Nova, esta habitação remonta à segunda metade do século XVIII, e integra-se no conjunto de habitações nobres, de cariz barroco, existentes na Lousã.
A Casa de Cima articula-se, tal como a maioria das restantes moradas, através de uma longa fachada decorada que se impunha na malha urbana da localidade, como distintivo de quem nela habitava. Uma característica comum à arquitectura civil setecentista, ainda que, no caso da Lousã, o seu desenvolvimento denote o ambiente regional em que estava inserida.
Por outro lado, são flagrantes as semelhanças com a Casa pertencente à família dos Feios de Carvalho, onde se observa idêntica divisão em dois pisos, com frestas rectangulares, molduradas, ao nível téreo, e janelas de avental e lintel decorado e recortado, a definir e a dignificar o andar nobre. O portal principal, ao centro da frontaria, faz convergir em si o ritmo dos vãos, interrompendo a sua perfeita simetria. De lintel semicircular, este é coroado por um frontão de volutas, interrompido pelo brasão da família (semelhante ao da Casa de Baixo).
A fachada é prolongada, ainda, por um corpo mais baixo, com empena contracurvada, de grande dinamismo, e de acesso ao pátio.
Fruto de uma época de grande desenvolvimento para a Lousã, no âmbito do qual a indústria de papel foi determinante, a Casa de Cima é um exemplo da construção setecentista regional, e da sua evolução que, neste caso, se processou no sentido de uma linguagem rococó.
Rosário Carvalho

Imagens

Bibliografia

Título

Solares Portugueses

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de

Título

A Lousã e o seu concelho

Local

-

Data

-

Autor(es)

LEMOS, Álvaro Viana de

Título

Casas Nobres do século XVIII

Local

Lousã

Data

1959

Autor(es)

GONCALVES, António Nogueira

Título

Inventário Artístico de Portugal - Aveiro, Beja, Coimbra, Évora, Leiria, Portalegre, Porto e Santarém

Local

Lisboa

Data

2000

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos