Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja da Misericórdia e consistório - detalhe

Designação

Designação

Igreja da Misericórdia e consistório

Outras Designações / Pesquisas

Igreja da Misericórdia de Portalegre e consistório / Hospital e Igreja da Santa Casa da Misericórdia de Portalegre / Conservatório Regional de Portalegre(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Portalegre / Portalegre / Sé e São Lourenço

Endereço / Local

Largo junto à Rua do Comércio
Portalegre

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 33 587, DG, I Série, n.º 63, de 27-03-1944 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

As primeiras instalações da Santa Casa da Misericórdia de Portalegre funcionaram provisoriamente na igreja de São João Baptista logo a partir da data de fundação desta instituição na cidade. Seguiu-se a construção de novo templo, bem como de um hospital, a curta distância deste. De acordo com a tradicional disposição das Misericórdias, foi construído um consistório adossado à igreja, dependência destinada às reuniões da antiga confraria.
A igreja possui dois portais laterais, e nenhum portal na fachada oposta ao altar-mor, que seria a fachada principal. No entanto, a construção, de planta longitudinal, encontra-se orientada no eixo N-S, e o portal Este, embora lateral, mantém-se de alguma forma como o portal de maior destaque, visto abrir para uma escadaria, no pequeno largo na Rua do Comércio. De resto, não se destacaria sobremaneira da portada oposta, que deita para o Largo da Misericórdia. Estes portais renascentistas muito clássicos constituem os elementos mais marcantes do exterior do templo. O primeiro, a Este, é constituído por vão de arco redondo por dois medalhões circulares no extradorso, e enquadrado por duas colunas lisas no terço inferior e estriadas dai para cima, erguidas sobre bases paralelepipédicas, suportando uma arquitrave lisa e um frontão. Este é vazado por um nicho de arco redondo, ao centro, encimado por uma concha de vieira, e rematado lateralmente por duas grandes esferas de granito. O segundo portal, a Oeste, igualmente rasgado em arco redondo ladeado por medalhões lisos, é enquadrado por pilastras molduradas e arquitrave lisa, sendo o frontão uma espécie de alusão, em jogo de invertidos, ao portal em eixo: o nicho que vazava o tímpano é agora o remate superior, e a vieira é nesta portada o ornato central. O conjunto é rematado lateralmente por urnas. As restantes fachadas não possuem elementos de destaque, registando-se apenas o óculo rasgado na fachada N., sobre janelão rectangular que ilumina o coro alto; a cabeceira situa-se a Sul. O corpo do Consistório, rectangular e alongado, parte da fachada E, e possui dois registos. A porta, de verga recta, rasga-se na fachada N., deitando para o topo da escadaria na Rua do Comércio, encostada já ao corpo da igreja, muito perto do respectivo portal.
A igreja é de nave única, com tecto de abóbada de berço e caixotões de alvenaria. O tramo do coro alto é constituído por arcada de três arcos redondos, colunas de fuste liso e capitéis clássicos. Ao consistório acede-se por uma porta junto ao portal Este, dando outra acesso à sacristia. Todo o interior se encontra despojado da maior parte da ornamentação; a cabeceira, tripartida, conserva pouco mais do que as arcadas do altar-mor e dos colaterais, todos de pouca profundidade. De destacar, desta ornamentação, os painéis de azulejos do início dos séculos XVIII e XVII, quando a igreja sofreu campanhas de obras de beneficiação e restauro, hoje recolocados na Igreja de São Lourenço de Portalegre.
Todo o recheio do templo foi vendido em 1922, e a partir desta altura o edifício serviu as mais diversas funções, desde sala de espectáculos a sede de um jornal local. Na actualidade, e após compra do conjunto pela Câmara Municipal, está aí instalado o Conservatório Regional de Música de Portalegre, funcionando nas suas dependências o Auditório Municipal. SML

Imagens

Bibliografia

Título

A Santa Casa da Misericórdia de Portalegre - subsídios documentais para a sua história, A Cidade Revista Cultural de Portalegre

Local

-

Data

1998

Autor(es)

PESTANA, Manuel Inácio