Saltar para o conteúdo principal da página

Palácio Barahona - detalhe

Designação

Designação

Palácio Barahona

Outras Designações / Pesquisas

Palácio Barahona / Arquivo Distrital de Portalegre(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Palácio

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Portalegre / Portalegre / Sé e São Lourenço

Endereço / Local

Largo de Serpa Pinto
Portalegre

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 28/82, DR, I Série, n.º 47, de 26-02-1982 ( (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O Palácio Barahona foi mandado edificar em 1800 por João Zuzarte Cid, vindo a ser adquirido alguns anos depois pela família Caldeira Castelo Branco. O palácio ficaria a dever a sua designação a Francisco Cordovil Castelo Branco Barahona, proprietário do imóvel entre 1885 e 1930. Mais tarde seria seu proprietário o Marquês de São Paio, e posteriormente o Sport Clube Estrela de Portalegre instalava aqui a sua sede. Nos anos 80 do século XX seria adquirido pelo Estado português, que executou obras de reabilitação, passando a albergar desde 1993 o Arquivo Distrital de Portalegre.
Sendo uma obra do início do século XIX, o Palácio Barahona apresenta um modelo inspirado na arquitectura civil seiscentista, em que a planta se desenvolve em comprimento, e a fachada progride através da repetição de janelas a espaços regulares. A fachada, dividida em dois registos e definida lateralmente por dois torreões, apresenta no piso térreo um conjunto de janelas com molduras de arco redondo, ao passo que as janelas do registo superior possuem molduras iguais mas coroadas de forma distinta, as dos torreões e do corpo central com frontão curvo, as dos corpos laterais com frontão angular. O corpo central possui no primeiro registo portal, ladeado por dois óculos, encimado por janela de sacada precedida por varandim de ferro e rematada por cartela com brasão da família Matos. As fachadas laterais repetem o modelo da fachada principal, apresentando algumas diferenças nas molduras das janelas do primeiro registo.
Interiormente, o espaço foi alterado para albergar os depósitos do Arquivo Distrital, não havendo por isso evidência das funções anteriores. No conjunto destaca-se a caixa das escadas situadas à esquerda, à entrada do edifício; de planta quase quadrada, com quatro lanços de escadas e dois registos de vãos que sobem até ao lanternim, possui janelões intercalados por nichos com esculturas em massa representando um guerreiro e uma imagem da Abundância. A fachada posterior do edifício abre para um jardim delimitado pelos muros da casa.
Tal como as casas nobres edificadas em Portalegre nos séculos XVII e XVIII, também o Palácio Barahona acabaria por se integrar na malha urbana medieval e renascentista da cidade, o que contribuiu para o enobrecimento do espaço urbano.
Catarina Oliveira

Imagens

Bibliografia

Título

Portalegre

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

PEREIRA, Paulo, RODRIGUES, Jorge

Título

Inventário Artístico de Portugal - vol. I (Distrito de Portalegre)

Local

Lisboa

Data

1943

Autor(es)

KEIL, Luís

Título

O centro histórico da cidade de Portalegre

Local

Portalegre

Data

2002

Autor(es)

GARRAIO, Isilda