Saltar para o conteúdo principal da página

Zona envolvente do Forte de Milreu - detalhe

Designação

Designação

Zona envolvente do Forte de Milreu

Outras Designações / Pesquisas

Forte de Mil Regos / Forte de São Pedro de Milreu / Forte de Milreu / Forte de São Pedro(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Militar / Forte

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Mafra / Ericeira; Santo Isidoro

Endereço / Local

-- -
Ericeira (Orla Maritima)

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 129/77, DR, I Série, n.º 226, de 29-09-1977 (ver Decreto)

Edital de 9-02-1973 da CM de Mafra
Despacho de homologação de 30-01-1973
Parecer de 19-01-1973 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE a propor a classificação como IIP
Proposta de classificação de 9-10-1972 da DGEMN

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Construído entre 1670 e 1675, o Forte de São Pedro ou Forte de Milreu, foi edificado no âmbito da política defensiva decorrente das Guerras de Restauração, que levou à construção ou reorganização de inúmeras fortalezas e fortins por toda a costa marítima do reino. A escolha de Milreu para erigir uma fortaleza prendeu-se com o facto de este ser o local ideal para defender o acesso marítimo à Ericeira por norte, ao mesmo tempo que permitia evitar desembarques na baía de Ribeira de Ilhas. Em 1680 o forte estava já artilhado, encontrando-se em pleno funcionamento.
De planta rectangular, o forte é composto por uma bateria com canhoeiras e duas guaritas circulares de cobertura cónica. Na fachada norte foi rasgado um arco pleno, ladeado por duas janelas, e a fachada oposta é rasgada também por arco de volta perfeita. A escadaria lateral, junto a uma das guaritas, conduz ao terraço delimitado por parapeito, que sobre a casa-forte permitia a defesa de tiro de fuzil. O interior é coberto por abóbada.
No ano de 1751 foi reportado o estado ruinoso da fortaleza, sendo apontada a necessidade de fazer obras nos parapeitos das baterias e nas guaritas, bem como de colocar novas portas e janelas. As obras foram depois do Terramoto de 1755, que agravou os estragos na estrutura defensiva.
Em 1806 o forte foi desmantelado e desguarnecido, o que originou que em 1821 a construção se encontrasse já em avançado estado de ruína. No entanto, entre 1831 e 1832 a fortaleza foi reparada para voltar a funcionar como posto defensivo.
No ano de 1853 a fortaleza encontrava-se novamente abandonada, e o seu estado de degradação foi-se agravando, embora a antiga casa do governador passasse a albergar uma escola primária para alunas do sexo feminino. Em 1871 é solicitada ao Ministério da Guerra autorização para serem utilizadas lajes do forte na reedificação da Igreja de São Pedro da Ericeira, concedida no ano seguinte, o que certamente agravou em muito a degradação da fortaleza.
Apesar de em 1883 e 1886 terem desabado partes da estrutura da muralha da fortaleza, no ano de 1891 a Guarda Fiscal instalou-se no espaço da antiga residência do governador. Mais tarde, em 1896, a muralha sofreu novo desabamento.
No século XX, em 1940, procederam-se finalmente a obras de reestruturação da estrutura, com o início da reedificação da muralha. No ano seguinte, o Forte de Milreu passou para a dependência do Ministério das Finanças, deixando oficialmente de ser considerado uma fortificação militar. Entre 1946 e 1992 muitos foram os projectos de reutilização do espaço - como casa de chá, pousada, restaurante, café - que não se concretizaram.
Catarina Oliveira
DIDA/ IGESPAR, I.P./ Maio de 2012

Imagens

Bibliografia

Título

Portugal antigo e moderno: diccionario geographico, estatistico, chorographico, heraldico, archeologico, historico, biographico e etymologico de todas as cidades, villas e freguezias de Portugal e de grande numero de aldeias...

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, FERREIRA, Pedro Augusto

Título

Guia de Portugal, Vol. I

Local

-

Data

1924

Autor(es)

PROENÇA, Raul

Título

Os mais belos castelos e fortalezas de Portugal

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

GIL, Júlio, CABRITA, Augusto

Título

Mafra. Efemérides do concelho

Local

Lisboa

Data

1967

Autor(es)

ASSUNÇÃO, Guilherme José Ferreira de

Título

Castelos Portugueses

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

MONTEIRO, João Gouveia, PONTES, Maria Leonor

Título

Monografia de Mafra

Local

Mafra

Data

1987

Autor(es)

LUCENA, Armando de

Título

Os Fortes Costeiros de Santa Susana e S. Pedro de Milreu, no Concelho de Mafra: Achegas para a sua história, Boletim Cultural '96, pp. 105-132

Local

Mafra

Data

1997

Autor(es)

COSTA, Aníbal Gil da

Título

Identidades. Património Arquitectónico do Concelho de Mafra

Local

Mafra

Data

2009

Autor(es)

FERNANDES, Paulo Almeida, VILAR, Maria do Carmo