Saltar para o conteúdo principal da página

Palácio Valada-Azambuja (dos condes da Azambuja), incluindo os azulejos do século XVIII nele existentes - detalhe

Designação

Designação

Palácio Valada-Azambuja (dos condes da Azambuja), incluindo os azulejos do século XVIII nele existentes

Outras Designações / Pesquisas

Palácio dos Condes de Azambuja / Palácio Valada - Azambuja / Palácio dos Condes de Azambuja(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Palácio

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Lisboa / Misericórdia

Endereço / Local

Largo do Calhariz
Lisboa

Número de Polícia: 15-19

Rua Marechal Saldanha
Lisboa

Número de Polícia: 32-38

Rua da Bica de Duarte Belo
Lisboa

Número de Polícia: 73-79

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 28/82, DR, I Série, n.º 47, de 26-02-1982 (ver Decreto)
Edital N.º 30/80 de 25-03-1980 da CM de Lisboa
Despacho de homologação de 11-05-1978 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer de 10-05-1978 da COISPCN a propor a classificação como IIP
Processo instruído em 1976 na DGPC

ZEP

Declaração de rectificação n.º 874/2011, DR, 2.ª série, n.º 98, de 20-05-2011 (retificou para ZEP do Bairro Alto e imóveis classificados na sua envolvente) (ver Declaração)
Portaria n.º 398/2010, DR, 2.º série, n.º 112, de 11-06-2010 (sem restrições) (fixou a ZEP do Bairro Alto) (ver Portaria)
Despacho de homologação de 11-11-2009 da Ministra da Cultura para a ZEP Conjunta do Bairro Alto e Imóveis Classificados na sua Área Envolvente
Parecer favorável de 23-05-2008 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Proposta de 29-09-2005 da DRC de Lisboa e Vale do Tejo

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Edificação do séc. XVIII, o palácio foi totalmente reconstruído após o terramoto de 1755, sofrendo importantes obras durante os sécs. XIX e XX, que lhe modificaram o carácter original, acabando por funcionar como sede do periódico "A Lucta" a partir de 1925, altura em que também se procedeu à abertura de estabelecimentos comerciais no seu andar térreo.
De planta em "U", e volumetria uniforme, perfeita de rectângulos paralelepipédicos, cobertos por telhados a quatro águas, observa-se na fachada principal, de um só corpo, três pisos delimitados por pilastras.
Apresentando três vãos em arco de volta inteira no piso térreo, é ao nível do andar nobre que se rasgam três janelas de sacada com verga curva que dão para uma varanda corrida, de balaustrada.
Enquanto o pano central do alçado principal é encimado por uma composição triangular onde, rodeando um óculo, se observam variados motivos vegetalistas em baixo-relevo, o interior distingue-se pela presença de painéis azulejares setecentistas, executados a azul e branco - nos quais se destacam cenas galantes - e encimados por vasos recortados. Será, ainda, de sublinhar a escadaria de mármore, coberta por abóbada em arco abatido e decorada com estuques levemente relevados. De não somenos relevância, é a presença de outros dois painéis azulejares no pátio interior deste Palácio, de forma triangular, figurando São Francisco e São Marçal.

Imagens