Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja paroquial de Nogueira da Montanha - detalhe

Designação

Designação

Igreja paroquial de Nogueira da Montanha

Outras Designações / Pesquisas

Igreja de São Miguel, paroquial de Nogueira da Montanha / Igreja Paroquial de Nogueira da Montanha / Igreja de São Miguel(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Vila Real / Chaves / Nogueira da Montanha

Endereço / Local

-- -
Nogueira da Montanha

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 735/74, DG, I Série, n.º 297, de 21-12-1974 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Povoado desde a Pré-história, como atestam as necrópoles, os testemunhos de arte rupestre, os povoados fortificados de altura (castros) da Idade do Ferro e as construções do período romano (calçada, ponte, barragem e villa) identificados até ao momento, numa comprovação da diversidade e da excelência dos recursos cinegéticos que dispunha às comunidades humanas que o percorriam e nele se fixavam, o território correspondente, na actualidade, ao concelho de Chaves confina, a Norte, com a Galiza, constituindo um dos seis municípios do 'Alto Tâmega'.
De entre a multiplicidade de construções erguidas ao longo dos tempos faz parte a "Igreja de São Miguel, paroquial de Nogueira da Montanha", originalmente construída, ao que se supõe - pela análise da estrutura e das pinturas a fresco existentes na parede interior, do lado Norte - , ainda no século XIII, inscrevendo-se, por conseguinte, na arquitectura românica da região, até que, em meados de oitocentos, a fachada adquiriu nova feição, incluindo o campanário de dupla ventana, acessível por escada adossada, que hoje ostenta.
Com corpo formado por duas naves construídas em épocas diferentes e separadas, entre si, por dois arcos assentes em pilares cilíndricos, a igreja alberga capela-mor mais baixa do que a nave que a antecede, flanqueada por dois altares.
Ao seu interior acede-se transpondo portal de lintel recto sobrepujado por janela da mesma feição, ambos rasgados no alçado principal terminado em empena assente em cornija e coroada com cruz pétrea e dois pináculos nas extremidades. É, no entanto, na fachada Sul que remanescem alguns dos elementos decorativos mais interessantes do templo, nomeadamente ao nível do portal que o rasga, em arco quebrado de duas arquivoltas e tímpano, e, sobretudo, do seu remate, composto de cachorrada lavrada com motivos geométricos, zoomórficos e antropomórficos.
[AMartins]

Bibliografia

Título

Inventário de sítios com interesse arqueológico do Concelho de Chaves

Local

Chaves

Data

1984

Autor(es)

MARTINS, João Baptista

Título

Guia de Portugal, Trás-os-Montes e Alto Douro, I - Vila Real, Chaves e Barroso

Local

Lisboa

Data

-

Autor(es)

-

Título

Levantamento Arquelógico do Concelho de Chaves, relatórios anuais de actividades

Local

Chaves

Data

1992

Autor(es)

TEIXEIRA, Ricardo Jorge Coelho Marques Abrantes, AMARAL, Paulo

Título

Levantamento Arqueológico do Concelho de Chaves, relatórios anuais de actividades

Local

Chaves

Data

1992

Autor(es)

TEIXEIRA, Ricardo Jorge Coelho Marques Abrantes, AMARAL, Paulo

Título

História da Arte em Chaves - O Românico

Local

Chaves

Data

2011

Autor(es)

BRÁS, Júlio Alves