Saltar para o conteúdo principal da página

Casa dos Werneck - detalhe

Designação

Designação

Casa dos Werneck

Outras Designações / Pesquisas

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Palacete

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viana do Castelo / Viana do Castelo / Viana do Castelo (Santa Maria Maior e Monserrate) e Meadela

Endereço / Local

Avenida Conde de Carreira
Santa Maria Maior

Número de Polícia: 10

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 443/2006, DR, II Série, n.º 49, de 9-03-2006 (ver Portaria)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Situada em frente de uma das mais significativas casas de Viana do Castelo - a casa dos Viscondes de Carreira -, a habitação da família Werneck, originária da Baviera, destaca-se pela sua longa fachada de cariz neogótico.
Foi mandada edificar em data próxima de 1840 por Gaspar da Rocha Pais de Barros Cação Faria Alpuim do Rego Castro, estando concluída, com certeza, cerca de 1880, pois remonta a esta época a execução das pinturas do interior, da autoria do artista vianense João Baptista Rio. De entre os seus trabalhos, ganha especial significado o tecto da sala de visitas, com medalhões onde se encontram paisagens e, ao centro, o auto retrato do próprio pintor e de três actores bastante conhecidos ao tempo.
O portão, na continuidade da fachada, e de gosto rococó, não é original da casa. Pertencia ao antigo convento das Ursulinas, tendo sido transferido para o local onde hoje se encontra em 1923.
De planta quadrada, e dois andares, a casa Werneck é considerada um exemplo de arquitectura revivalista, neste caso, neogótica, embora determinados pormenores, como as pinturas interiores ou a própria decoração mais naturalista dos ornatos das janelas contrariem, de certo modo, esta tendência. A fachada, de dois andares, é dividida por pilastras que definem três corpos e que são encimadas por vasos, mas já sobre a platibanda. No piso térreo, abrem-se portas e janelas, enquanto o andar nobre é aberto, na totalidade, por sete janelas de sacada, com moldura em arco quebrado. Nas impostas foram esculpidos motivos naturalistas e, na arquivolta, elementos fitomórficos. O ritmo destes vãos converge no pano central onde, sobre a cornija e platibanda sem decoração, se desenvolve uma composição de enrolamentos e volutas, a enquadrar uma pedra de armas.
No interior, para além das pinturas já referidas, destaca-se o oratório, com pinturas e nicho de talha.
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

Viana do Castelo

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

CALDAS, João Vieira, GOMES, Paulo Varela