Saltar para o conteúdo principal da página

Dois moinhos de vento da Quinta dos Cinco Ventos e Monumento ao Poeta Árabe - detalhe

Designação

Designação

Dois moinhos de vento da Quinta dos Cinco Ventos e Monumento ao Poeta Árabe

Outras Designações / Pesquisas

Dois Moinhos de Vento na Quinta dos Cinco Ventos e do Monumento ao Poeta Árabe (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Moinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Cascais / Alcabideche

Endereço / Local

Quinta dos Cinco Ventos
Alcabideche

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como CIM - Conjunto de Interesse Municipal

Cronologia

Aviso de 24-10-2011 da CM de Cascais, publicado no Boletim Municipal de 2-11-2011
Despacho de 12-10-2011 da Vereadora da Cultura e Educação da CM de Cascais a homologar a classificação como CIM dos dois moinhos de vento da Quinta dos Cinco Ventos e o Monumento ao poeta Árabe
Em 28-10-2008 foi dado conhecimento do despacho aos interessados
Despacho de revogação de 4-09-2008 da subdirectora do IGESPAR, I.P.
Proposta de 8-08-2008 da DRC de Lisboa e Vale do Tejo para a revogação do despacho de abertura
Em 30-06-2008 foi promovida a audiência dos interessados
Despacho de 23-06-2008 da subdirectora do IGESPAR, I.P. a determinar que se promovesse a audiência dos interessados
Proposta de 13-05-2008 da DRC de Lisboa e Vae do Tejo para a revogação do despacho de abertura, por os moinhos não terem um valor patrimonial de âmbito nacional
Despacho de abertura de 6-03-1997 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de 6-03-1997 do Departamento de Arqueologia do IPPAR para a abertura da instrução de processo de classificação
Proposta da JF de Alcabideche para a classificação de dois moinhos de ventos situados junto ao chamado monumento ao Árabe

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A antiquíssima povoação de Alcabideche terá sido fundada durante o domínio islâmico, que deixou marca evidente na toponímia local. Desde então, e até às décadas de 60-70 do século XX, a paisagem esteve marcada por grande quantidade de moinhos de vento, quase todos destruídos nos anos seguintes. Os dois moinhos da Quinta dos Cinco Ventos são o último testemunho da importância económica da moagem em Alcabideche, e verdadeiros ex-libris da freguesia. Levantam-se a cerca de 90 m entre si, no cimo de uma pequena colina enquadrada pela Serra de Sintra, e na vizinhança de um nó rodoviário do IC 16.
Os moinhos possuem torre de planta circular, em alvenaria de pedra e argamassa. O exemplar que se presume mais antigo, a Nascente do conjunto, é constituído por piso térreo e um andar de sobrado, e foi restaurado em 1997, por iniciativa da Junta de Freguesia. No piso inferior existem apenas alguns armários, em vãos escavados nas grossas paredes de 1,30 m de espessura, tendo desaparecido todos os componentes do mecanismo de moagem. No piso superior, acessível por uma escada de pedra em caracol, resta o mastro do velame, de madeira, e os elementos adjacentes. A cobertura, ou capelo, é formada por uma estrutura cónica em madeira, assente num aro, e forrada no exterior por folha de zinco. O mastro, de secção oitavada a partir da abertura, conserva as oito varas de suporte do velame, que não existe actualmente. Nada resta igualmente do mecanismo de moagem propriamente dito, nem sequer as mós.
O segundo moinho não foi sujeito a qualquer restauro, encontrando-se nitidamente degradado. É muito idêntico ao anterior, mas estrutura-se em três pisos, sendo os dois superiores de sobrado, quase totalmente destruídos. Em cada andar existem duas mós, as do piso intermédio destinadas à moagem de cevada e centeio, e as do terceiro piso, de grão mais fino, destinadas apenas ao trigo. Esta diferenciação, possível pelo acrescento tardio do piso superior, ocorreu entre os séculos XVIII e XIX. Sob o capelo conserva-se ainda o mastro, bem como alguns elementos do mecanismo e do travamento.
A alguma distância do conjunto dos moinhos levanta-se um singelo monumento ao poeta árabe do século XI Abu Zayd ' Abd ar-Rahmãn ibn Muqana, natural de Alcabideche, então Al-Qabdaq. Pertencem a Ibn Muqana as primeiras referências conhecidas aos moinhos de vento na região, se não mesmo em toda a Península Ibérica, na forma de poemas, dos quais um significativo trecho se encontra reproduzido na lápide comemorativa. As obras do nó rodoviário de Alcabideche, para além de quebrarem a ligação entre as moendas e desvirtuarem o seu enquadramento, vieram afectar em muito a legibilidade do conjunto formado por estas e pela lápide, cujo principal valor patrimonial residia na relação com os moinhos a que os versos aludem.
Sílvia Leite /DIDA/IGESPAR, I.P./19-10-2007

Imagens

Bibliografia

Título

Monografia de Cascais

Local

Cascais

Data

1969

Autor(es)

ANDRADE, Ferreira de, CASTELO BRANCO, António de

Título

Cascais. Guia para uma visita

Local

Cascais

Data

1983

Autor(es)

ENCARNAÇÃO, José d'

Título

Sistemas primitivos de moagem em Portugal. Moinhos, Azenhas e Atafonas. II. Moinhos de Vento

Local

Porto

Data

1959

Autor(es)

OLIVEIRA, Ernesto Veiga de, GALHANO, Fernando, DIAS, Jorge

Título

Alcabideche, Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira

Local

Lisboa

Data

-

Autor(es)

-

Título

Moinho, Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira

Local

Lisboa

Data

-

Autor(es)

-