Saltar para o conteúdo principal da página

Casa do Morgado de São Bento - detalhe

Designação

Designação

Casa do Morgado de São Bento

Outras Designações / Pesquisas

Casa dos Morgados de São Bento(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Vila do Conde / Vila do Conde

Endereço / Local

Rua da Lapa
Vila do Conde

Proteção

Situação Actual

Procedimento caducado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Procedimento caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma) , alterado pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de abertura de 2-06-1995

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A Casa do Morgado de São Bento foi edificada em meados do século XVII no centro de Vila do Conde por Jacome Carneiro Barbosa, capitão-mor de Vila do Conde. Permaneceu na posse da família Barbosa, fundadora da capela de São Bento situada no centro da vila, até 1855, quando foi vendida a José da Costa Faria e Silva, ministro de D. Maria II. Cerca de 1871 foi edificada uma nova área residencial, adossada ao edifício principal.
O núcleo original da Casa de São Bento é um exemplar da arquitectura senhorial maneirista edificada em meios urbanos, cujos modelos apresentam grande sobriedade estrutural e decorativa. A planta rectangular desenvolve-se longitudinalmente, dividida em dois registos, e a fachada principal é marcada pela regularidade da abertura de janelas, alternando-se no registo superior janelas de peito com janelas de sacada. No piso térreo as janelas de sacada são substituídas por portas.
Na extremidade esquerda da fachada principal destaca-se o corpo edificado na segunda metade do século XIX, de gosto neoclássico. Apesar de algumas diferenças estruturais, como o frontão triangular que remata o frontispício ou os elementos decorativos, é evidente a procura de harmonia entre o corpo neoclássico e a edificação maneirista já existente.
A divisão interior da casa adequa-se às directrizes da tratadística italiana dos séculos XVI e XVII, sendo destinado o piso térreo para armazéns e divisões de serviço, e o superior para as zonas de habitação e salas nobres. No interior ainda se podem ver vestígios de pinturas a fresco nas paredes, embora se encontrem muito degradadas, e caixotões de madeira que cobrem alguns dos tectos das salas.
Juntamente com o palacete fronteiro, a Casa de São Sebastião, e o fontanário edificado junto de ambas, forma um largo, exemplo do planeamento urbanístico seiscentista em Vila do Conde.
Catarina Oliveira
IPPAR/2005

Bibliografia

Título

Corografia Portuguesa e descripçam topographica do famoso Reyno de Portugal

Local

Lisboa

Data

1712

Autor(es)

COSTA, Pe. António Carvalho da

Título

Solares Portugueses

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de

Título

Guia de Portugal, v.4, t. I : Entre Douro e Minho, Douro Litoral

Local

Lisboa

Data

1983

Autor(es)

PROENÇA, Raul

Título

Vila do Conde

Local

Vila do Conde

Data

1991

Autor(es)

NEVES, Joaquim Pacheco

Título

Vila do Conde e o seu Alfoz - Origens e Monumentos

Local

Porto

Data

1923

Autor(es)

FERREIRA, Augusto

Título

Vila do Conde

Local

Lisboa

Data

1998

Autor(es)

MIRANDA, Marta