Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja de Nossa Senhora das Ondas, ou do Corpo Santo, e Edifício do antigo Compromisso Marítimo de Tavira - detalhe

Designação

Designação

Igreja de Nossa Senhora das Ondas, ou do Corpo Santo, e Edifício do antigo Compromisso Marítimo de Tavira

Outras Designações / Pesquisas

Igreja de São Pedro Gonçalves Telmo
Igreja do Corpo Santo
Edifício do Antigo Compromisso Marítimo de Tavira / Edifício Compromisso Marítimo de Tavira e Igreja de Nossa Senhora das Ondas / Igreja de São Pedro Gonçalves Telmo / Igreja do Corpo Santo(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Faro / Tavira / Tavira (Santa Maria e Santiago)

Endereço / Local

Rua Dr. Parreira
Tavira

Rua Dom Marcelino Franco
Tavira

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 740-EN/2012, DR, 2.ª série, n.º 252 (suplemento), de 31-12-2012 (ver Portaria)
Procedimento (indevidamente) prorrogado até 31-12-2011 pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de homologação de 31-01-2003 do Ministro da Cultura
Parecer favorável de 7-01-2003 do Conselho Consultivo do IPPAR
Proposta de 2-08-2002 da DR de Faro para a classificação como IIP
Despacho de abertura de 25-07-2001 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de abertura de 19-06-2001 da DR de Faro
Nova proposta de 2-04-2001 da CM de Tavira
Proposta de classificação de 28-11-1983 da CM de Tavira

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A Igreja de Nossa Senhora das Ondas, em Tavira, mandada edificar na primeira metade do século XVI pela Confraria de São Pedro Gonçalves Telmo (também conhecida como Compromisso Marítimo), é um edifício que reúne em si mesmo memórias de grande importância para a História Religiosa e Local, porquanto é um testemunho vivo da actividade marítima em Tavira, e do grupo social que lhe esteve subjacente - a confraria de pescadores e mareantes, cujo patrono era S. Pedro Gonçalves Telmo.
Numa perspectiva estética, e no plano formal, o templo inscreve-se no estilo arquitectónico do primeiro Renascimento, evidenciado nalguns elementos ( pórtico principal, arco triunfal e retábulo da capela-mor), o que testemunha o importante papel desempenhado pelos artistas que então laboravam na cidade de Tavira, e que contribuíram para fixar o papel que esta cidade teve enquanto centro de uma escola regional de arquitectura renascentista de grande actividade.
Os danos causados pelo sismo de 1755 determinaram a reconstrução do templo, confiada à responsabilidade de Diogo Tavares de Ataíde, o mais importante mestre pedreiro da época barroca do Algarve.
Na decoração interior da Igreja de Nossa Senhora das Ondas merece especial destaque a pintura em perspectiva que decora o teto, considerado como o mais antigo teto pintado nesta técnica em toda a região algarvia. A restante decoração é composta quase exclusivamente por peças do barroco setecentista, sendo de realçar, para além do já referido teto, a talha - cinco retábulos - , a pintura sobre tela - que integra os retábulos e que é de grande qualidade - e a escultura - cinco exemplares em madeira, um deles representando Nossa Senhora das Ondas. Destaque-se ainda um órgão datado de finais do século XVIII. Todo este conjunto concorria para concretizar o conceito de Arte Total veiculado no período barroco.

Imagens