Saltar para o conteúdo principal da página

Palácio da Galeria - detalhe

Designação

Designação

Palácio da Galeria

Outras Designações / Pesquisas

Palácio da Galeria / Centro Cultural da Cidade de Tavira / Museu Municipal de Tavira(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Palácio

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Faro / Tavira / Tavira (Santa Maria e Santiago)

Endereço / Local

Rua da Galeria
Tavira

Calçada de D. Ana
Tavira

Largo de D. Ana
Tavira

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 888/2013, DR, 2.ª série, n.º 240, de 11-12-2013 (ver Portaria)
Procedimento (indevidamente) prorrogado até 31-12-2011 pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Diploma) Despacho de homologação de 26-05-2003 do Ministro da Cultura
Parecer favorável de 7-05-2003 do Conselho Consultivo do IPPAR
Proposta de 2-11-2006 da DR de Faro para a classificação como IIP
Despacho de abertura de 5-12-1991 do presidente do IPPC
Proposta de abertura de 29-11-1991 do IPPC
Proposta de classificação de 28-09-1984 da CM de Tavira

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

"Desconhece-se a data da sua construção, existindo contudo, já na 2ª década de quinhentos, conforme se constata do desenho "Tavira Antiga", elaborado entre 1520 e 1550. Data de 1682 a primeira referência que nos surge sobre este Palácio. Nesse ano, foi instituído a favor do Hospital do Espírito Santo, uma capela ou legado intitulada Capela de D. Antónia de Abranches, cujas despesas ficaram garantidas pelas receitas provenientes do foro das "Casas Grandes da Galeria da Calçada de Santa Maria". O registo posterior do pagamento desse foro permite determinar os sucessivos locatários do palácio até 1863, data em que o Palácio é adquirido pela Câmara Municipal. Nesse ano o Palácio sofre obras de restauro. Em 1864 a Câmara cede o 1º piso do Palácio ao Dr. Cirillo da Esperança Freire, que aí instala a "Sociedade Recreativa Tavirense" podendo simultaneamente instalar no piso superior a Administração do concelho (1864) e Tribunal Judicial(1865), fixados até então no Convento do Carmo desde 1844. Ao longo dos anos que se seguiram, diversos foram os serviços públicos que tiveram a sua Sede no Palácio da Galeria: Repartição da Fazenda Pública; Administração do Concelho e Tesouraria Municipal; uma Escola Masculina; A Escola do Ensino Técnico de Tavira, até que em 1980 o Palácio fica devoluto mas muito danificado, originando pequenas obras de beneficiação em 1982. Em 1983 instala-se em parte do andar nobre do edifício o G.A .T. de Tavira. O Palácio da Galeria é o maior e mais notável edifício civil de carácter monumental. O portal e as janelas do 1º andar têm cantarias barrocas de elaborado desenho. No interior há um belo pátio com galeria de arcadas Renascença. Os telhados de tesouro definem o recorte do volume que, pela sua implantação na encosta virada ao Rio, se destaca na paisagem da cidade. Os telhados de tesouro são forrados interiormente com madeira que suporta pintura decorativa, deixando embora, o vigamento à vista. A construção denuncia várias campanhas, nomeadamente a do século XVIII nas cantarias do 2º piso. Tem cunhais e socos de pedra." In Plano de Reabilitação e Salvaguarda do Centro Histórico de Tavira, da autoria de Carlos Duarte e José Lamas, Ldª., 1985

Imagens