Saltar para o conteúdo principal da página

Ermida de Nossa Senhora da Consolação - detalhe

Designação

Designação

Ermida de Nossa Senhora da Consolação

Outras Designações / Pesquisas

Capela de Nossa Senhora da Consolação(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Capela

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Faro / Tavira / Tavira (Santa Maria e Santiago)

Endereço / Local

Avenida da Liberdade
Tavira

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 200/2013, DR, 2.ª série, n.º 71, de 11-04-2013 (ver Portaria)
Procedimento prorrogado até 30-06-2013 pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Anúncio n.º 13619/2012, DR, 2.ª série, n.º 206, de 24-10-2012 (ver Anúncio)
Procedimento prorrogado pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Despacho de homologação de 11-04-2011 do Secretário de Estado da Cultura
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Parecer favorável de 11-06-2008 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Proposta de 23-11-207 da DRC do Algarve para a classificação como IIP
Despacho de abertura de 16-10-2000 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de abertura de 8-10-2006 da DR de Faro
Nova proposta de 13-06-2000 da CM de Tavira
Proposta de classificação de 28-11-1983 da CM de Tavira

ZEP

Despacho de homologação de 11-04-2011 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer favorável de 11-06-2008 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Proposta de 23-11-2007 da DRC do Algarve para o não estabelecimento de ZEP por estar abrangida pela ZEP das Muralhas do Castelo de Tavira

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

«Situada em ambiente urbano do Centro Histórico de Tavira, na Rua da LIberdade, junto à antiga Porta da Alfeição, defronte da cadeia, ambas demolidas em 1918, está a ermida de Nossa Senhora da Consolação. A sua origem remonta a 1648, altura em que foi criada a Confraria de Nossa Senhora da Consolação dos Presos (LAMEIRA, 1996, p. 52).
A fachada, em alvenaria de pedra rebocada, denota grande sobriedade. Apresenta um portal recente de verga ladeado por dois postigos. O anterior pórtico foi substituído neste século, restando os cunhais em cantaria integrando algumas pedras almofadadas e um pequeno campanário. O interior da ermida denota igualmente grande simplicidade. É composto por um só corpo de pequenas dimensões, bastante modesto arquitectonicamente, com cobertura em madeira. A sacristia, casas do ermitão e um dos Passos do Senhor anexos a este templo, foram destruídos no início do século e no seu lugar construído um prédio (Idem, ibidem).
A ermida integra, no entanto, um conjunto decorativo interessante, composto por um roda-pé de azulejaria de tapete, do século XVII, uma tela setecentista de Cristo com a Cruz, que se acolhe num pequeno altar lateral (outrora a tela pertencia a um Passo), e um retábulo seiscentista obedecendo aos cânones compositivos do Maneirismo - seguidor de modelos "arquitectónicos" serlianos, com recurso às colunas estriadas de terços inferiores decorados, rigidez planimétrica, abrigando pinturas nos intercolúnios e predelas, tudo em consonância com um gosto que o estilo chão dominante impôs sem sobressalto, antes da grande dinamização da arte da talha em Portugal, com o advento da linguagem barroca.
O retábulo integra uma imagem setecentista de Nossa Senhora da Consolação, ao centro, e pinturas sobre tela de temática mariana de muito razoável qualidade: Adoração dos Pastores, Adoração dos Reis Magos, Coroamento da Virgem, e, nas predelas, a Apresentação da Virgem no Templo, Última Ceia e Anunciação.
A ermida de Nossa Senhora da Consolação conserva a sua função religiosa e integra o significativo conjuntp de ermidas da cidade de Tavira, fundadas e administradas, na sua maioria, por confrarias ou irmandades, neste caso, a confraria de Nossa Senhora da Consolação dos Presos movida por um objectivo específico: o apoio moral e espiritual aos reclusos da antiga cadeia de Tavira. Segundo a tradição, era a ermida onde os condenados passavam as últimas horas.»
Daniel Santana
Memória descritiva da proposta de classificação da Ermida de Nossa Senhora da Consolação
Câmara Municipal de Tavira / Junho de 2000

Imagens

Bibliografia

Título

Roteiro das igrejas de Tavira

Local

-

Data

1996

Autor(es)

LAMEIRA, Francisco