Saltar para o conteúdo principal da página

Cinco mamoas da Veiga - detalhe

Designação

Designação

Cinco mamoas da Veiga

Outras Designações / Pesquisas

Conjunto das 5 Mamoas da Veiga(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Necrópole

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Vila Real / Montalegre / Meixedo e Padronelos; Montalegre e Padroso

Endereço / Local

- -
Veiga e Montalegre

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 29/90, DR, I Série, n.º 163, de 17-07-1990 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Classificadas em 1990 como "Imóvel de Interesse Público", as "Mamoas da Veiga" apresentam-se como um conjunto de cinco mamoas erguidas durante o megalitismo do Noroeste do actual território português no Lugar da Veiga, o mesmo que lhe deu nome.
Estruturas funerárias, por excelência, a primeira mamoa - ou tumulus - deste conjunto arqueológico possui cerca de quinze metros de diâmetro e foi construída com terra e material pétreo de reduzidas dimensões. E, tal como sucede nos restantes componentes deste complexo sepulcral, também ela apresenta indícios de violação e destruição ocasionada pela estrada rasgada no seu perímetro, o que não impediu, contudo, a recolha de uma pequena goiva.
Relativamente à segunda mamoa, ela ostenta uma couraça pétrea com um diâmetro superior ao da anterior: aproximadamente vinte e cinco metros. E apesar de evidenciar sinais nítidos de violação, ainda conserva dois esteios da primitiva câmara sepulcral in situ, um deles com várias cruzes gravadas ao longo da superfície.
Contrariamente às duas anteriores, a terceira mamoa, com cerca de dez metros de diâmetro, não parece evidenciar quaisquer indícios da existência, na origem, de uma couraça pétrea, o mesmo sucedendo, aliás, com a quarta mamoa, com um diâmetro de aproximadamente quinze metros.
O maior destaque irá, contudo, para a última mamoa deste conjunto, pois, além de ostentar cerca de trinta metros de diâmetro (o que lhe confere uma integração na paisagem actual assaz distinta), não se denotam grandes sinais de violação e, por inerência, de destruição.
[AMartins]

Bibliografia

Título

Megalitismo do Norte de Portugal: Distrito do Porto - Os Monumentos e a sua problemática no contexto europeu

Local

Porto

Data

1982

Autor(es)

JORGE, Vítor de Oliveira

Título

Subsídios para o estudo arqueológico de Montalegre, Mealhada e Viseu, Ethnos

Local

Lisboa

Data

1969

Autor(es)

SANTOS, Maria Cristina

Título

Montalegre e Terras de Barroso

Local

Montalegre

Data

1968

Autor(es)

COSTA, João Gonçalves da

Título

Materiais para a arqueologia do concelho de Montalegre, O Arqueólogo Português

Local

Lisboa

Data

1920

Autor(es)

BARREIROS, Fernando Braga