Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Tondela - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Tondela

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Tondela(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viseu / Tondela / Tondela e Nandufe

Endereço / Local

Largo da Câmara
Tondela

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O concelho de Tondela corresponde a uma parte da vasta circunscrição medieval de Besteiros, tendo recebido a designação actual apenas no século XIX. A antiga sede de conselho, na actual freguesia de Molelos, havia recebido foral de D. Manuel em 1515. O pelourinho erguido na sequência deste foral perdeu-se em torno de 1840, e o actual pelourinho de Tondela, levantado no largo fronteiro aos Paços do Concelho, foi construído entre 1933 e 1939, sendo uma obra revivalista, que aproveita fragmentos do monumento original.
O pelourinho assenta numa plataforma de três degraus octogonais, de aresta, e num pedestal constituído por um bloco octogonal de faces lisas, com ressalto moldurado na base e topo, de onde irrompe a coluna, sobre toro liso. Este conjunto, incluindo o primeiro troço do fuste, é tido como o aproveitamento dos únicos fragmentos conservados do monumento original. O fuste segue no mesmo estilo, mas em peça de factura moderna, com secção octogonal e faces lisas, ligeiramente decrescente em direcção ao topo. É rematado por astragálo octogonal, , com gola lisa, e uma série de molduras octogonais crescentes, a última formando base do remate. Este consta de uma peça ogival romba, encimada por anelete e esfera lisa, onde se crava a grimpa em ferro, constituída por espigão com bandeirola e cruz de Cristo vazada. SML

Imagens

Bibliografia

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde