Saltar para o conteúdo principal da página

Núcleo de seis menires, na Herdade dos Perdigões - detalhe

Designação

Designação

Núcleo de seis menires, na Herdade dos Perdigões

Outras Designações / Pesquisas

Cromeleque dos Perdigões / Complexo Arqueológico dos Perdigões / Cromeleque dos Perdigões(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Menir

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Évora / Reguengos de Monsaraz / Reguengos de Monsaraz

Endereço / Local

EN 255, Reguengos de Monsaraz - Alandroal, Herdade dos Perdigões
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 516/71, DG, I Série, n.º 274, de 22-11-1971 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Sítio
Inseridos isoladamente num vasto olival, a cerca de 2 km a nordeste de Reguengos de Monsaraz e a Este do "Sítio Arqueológico dos Perdigões" em Vias de Classificação, os seis menires da Herdade dos Perdigões apresentam-se talhados em granito.
Dado se encontrarem tombados e fraturados e alguns, inclusivamente, não visíveis por se acharem enterrados, não foi possível reconstituir a planta do alinhamento ou do cromeleque a que provavelmente pertenciam.
O menir de maiores proporções que, apesar de fraturado, deveria ter c. de 2 m de altura, apresenta uma forma cilíndrica e com diversas "covinhas" alinhadas ao longo de um dos eixos longitudinais assim como a representação de um báculo. Todos os outros monólitos graníticos apresentam uma feição almendrada encontrando-se o conjunto disperso por uma área com c. de 2 400 m2.
Considera-se, pelas características que apresentam, que estes menires se enquadrem no Neolítico médio (5º milénio a. C.), numa fase anterior à construção das primeiras estruturas de fossos dos Perdigões sofrendo depois diversas perturbações e reformulações durante o Calcolítico (3º milénio a. C.) ou seja, durante o período a que geralmente se atribui o denominado "universo megalítico eborense".
.
A.Martins/IPPAR/2005, atualizado por Maria Ramalho/DGPC/2019.

Bibliografia

Título

Novos monumentos megaliticos do Distrito de Évora, Actas do 2.º Congresso Nacional de Arqueologia

Local

-

Data

1971

Autor(es)

PINA, Henrique Leonor

Título

Nouvelles découvertes de cromelechs et de menhirs au Portugal, Comunicações dos Serviços Geológicos de Portugal

Local

Lisboa

Data

1977

Autor(es)

NORTH, Christopher Thomas, FERREIRA, Octávio da Veiga, LEITÃO, Manuel, ZBYSZEWSKI, Georges, SOUSA, H. Reynolds de

Título

Aspects of Megalithic Religion According to the Portuguese Menhirs, III The Valcamonica Symposium

Local

-

Data

1999

Autor(es)

GOMES, Mário Varela

Título

Roteiro de Alguns Megálitos da Região de Evora, A Cidade de Évora

Local

Évora

Data

1975

Autor(es)

GONCALVES, José Pires

Título

Os Perdigões neolíticos . Génese e desenvolvimento (de meados do 4º aos inícios do 3º milénio a. C.)

Local

Lisboa

Data

2018

Autor(es)

VALERA, António Carlos Neves de

Título

Povoado dos Perdigões (Reguengos de Monsaraz): dados preliminares dos trabalhos arqueológicos realizados em 1997, 1:1, p. 45-152.

Local

Lisboa

Data

1998

Autor(es)

SILVA, Miguel Lago da