Saltar para o conteúdo principal da página

Livraria Lello e Irmão - detalhe

Designação

Designação

Livraria Lello e Irmão

Outras Designações

-

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Livraria

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Porto / Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória

Endereço / Local

Rua das Carmelitas
Porto

Número de Polícia: 144

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 625/2013, DR, 2.ª série, n.º 182, de 20-09-2013 (ver Portaria)
Despacho de homologação de 14-02-2000 do Ministro da Cultura
Parecer de 24-03-1994 do Conselho Consultivo do IPPAR a propor a classificação como IIP
Despacho de abertura de 28-09-1993 do presidente do IPPAR
Proposta de abertura de 14-09-1993 da DR do Porto
Proposta de classificação de 14-12-1981 da Delegação Regional do Norte da SEC

ZEP

Portaria n.º 625/2013, DR, 2.ª série, n.º 182, de 20-09-2013 (sem restrições) (ver Portaria)
Anúncio n.º 35/2013, DR, 2.ª séire, n.º 19, de 28-01-2013 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 31-05-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Proposta de 12-04-2011 da DRC do Norte
Devolvido pelo Gabinete do Secretário de Estado da Cultura em 14-03-2011 para apresentar proposta de ZEP própria para o imóvel

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A Livraria Lello e Irmão, considerada uma das mais belas do mundo, constitui um ex-líbris da cidade do Porto e um autêntico santuário das artes editoriais e livreiras, albergando no seu edifício monumental uma das mais antigas e prestigiadas editoras nacionais. Inaugurado no Porto em 1906, o estabelecimento, herdeiro da tradição já bem firmada da Livraria Chardron, causou grande impacto no meio cultural da época.
O edifício foi concebido segundo projeto do engenheiro Xavier Esteves, cujo caráter eclético, em perfeita atualidade com algumas das tipologias estéticas da época, e a que a literatura coeva não foi alheia, se adapta na perfeição ao seu objetivo comercial. A fachada neogótica é rasgada, no piso térreo, por um arco Tudor de grandes dimensões, abrangendo a porta central e as montras laterais, e sobre o qual corre a legenda Lello e Irmão. No registo superior destaca-se uma grande janela tripla, flanqueada por duas figuras representando a Arte e a Ciência, sendo o conjunto da fachada pontuado por decoração vegetalista e geométrica de cariz medievalista, platibandas rendilhadas e pináculos enquadrando um remate em arco conopial.
No interior, os arcos em ogiva apoiam-se em pilares esculpidos com bustos de escritores como Antero de Quental, Eça de Queiroz, Camilo Castelo Branco, Teófilo Braga, Tomás Ribeiro e Guerra Junqueiro, sob baldaquinos rendilhados. O amplo vitral revivalista com a divisa da casa, Decus in Labore (Dignidade no Trabalho), da claraboia, os esplêndidos tetos em estuque dourado e o magnífico trabalho de marcenaria, bem representado pelo corrimão em madeira da imponente escadaria, constituem os elementos decorativos mais emblemáticos da livraria.
A Livraria Lello e Irmão apresenta-se como um dos mais importantes edifícios da arquitetura eclética portuguesa, integrando marcenarias e vitrais sem paralelo no país. Ao seu valor arquitetónico e artístico acresce a importância cultural que tem assumido de forma contínua ao longo do tempo, bem como o seu excelente estado de conservação, a autenticidade e exemplaridade da estrutura e da decoração, e a merecida fama internacional de que desfruta.
UCC/DGPC/2013

Imagens

Bibliografia

Título

"Inventário Artístico de Portugal: Cidade do Porto"

Local

Lisboa

Data

1995

Autor(es)

QUARESMA, Maria Clementina de Carvalho

Título

"Jornal O Público"

Local

Porto

Data

1995

Autor(es)

-