Saltar para o conteúdo principal da página

Casa do Passal, também denominada «Vila de São Cristóvão» - detalhe

Designação

Designação

Casa do Passal, também denominada «Vila de São Cristóvão»

Outras Designações / Pesquisas

Casa do Doutor Aristides de Sousa Mendes / Casa do Passal / Casa do Dr. Aristides de Sousa Mendes(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viseu / Carregal do Sal / Cabanas de Viriato

Endereço / Local

Quinta de São Cristóvão
Cabanas de Viriato

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 16/2011, DR, 1.ª série, n.º 101, de 25-05-2011 (ver Decreto)
Procedimento prorrogado até 31-12-2011 pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30 de Dezembro (ver Despacho)
Edital de 18-05-2005 da CM de Carregal do Sal
Despacho de homologação de 3-02-2005 da Ministra da Cultura
Parecer favorável de 30-09-2004 do Conselho Consultivo do IPPAR
Proposta de 2-08-2002 da DR de Coimbra para classificação como MN
Edital de 21-08-2000 da CM de Carregal do Sal
Despacho de abertura de 20-06-2000 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de abertura de 9-05-2000 da DR de Coimbra
Proposta de classificação de 12-01-2000 da neta de Aristides de Sousa Mendes

ZEP

Portaria n.º 740-A/2012, DR, 2.ª série, n.º 248 (suplemento), de 24-12-2012 (sem restrições) (ver Portaria)
Anúncio n.º 12777/2012, DR, 2.ª série, n.º 113, de 12-06-2012 (ver Anúncio)
Novo parecer de 9-02-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura a aprovar a delimitação anterior, tendo sido apresentada nova planta com a delimitação da Casa do Passal que foi homologada em 3-02-2005
Planta aprovada em reunião de 1-10-2008 do Conselho Consultivo do IPPAR
Em 7-04-2008 a DRC do Centro apresentou nova planta
Parecer favorável de 16-05-2007 do Conselho Consultivo do IPPAR, mas solicitando a demarcação em planta actualizada
Proposta de 7-05-2007 da DRC do Centro

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A casa de Cabanas de Viriato, onde viveu o Dr. Aristides de Sousa Mendes, encontra-se implantada num local isolado pelo muro que a envolve, delimitando uma zona de quinta. A sua edificação remonta ao século XIX, destacando-se pelo eclectismo da arquitectura e pela imponência da fachada principal, com entrada nobre de grande aparato, mas principalmente pela memória do cônsul que aí habitou.
Nascido em Cabanas de Viriato a 19 de Julho de 1885, Aristides de Sousa Mendes estudou Direito em Coimbra, optando por seguir a carreira diplomática. As suas opções políticas, nomeadamente o apoio à causa monárquica conduziram, em 1919, à suspensão do cargo que exercia em Curitiba, no Brasil. Neste período, acrescentou ao seu nome os apelidos da família (Aristides de Sousa Mendes do Amaral e Abranches) numa atitude que mais não era do que a reafirmação das suas convicções nobiliárquicas, também expressas no brasão pintado no tecto do hall da casa de Cabanas de Viriato. Anos mais tarde, no decorrer da Segunda Guerra Mundial, e ocupando, desde 1938, o lugar de Cônsul português em Bordéus, Aristides de Sousa Mendes passou vistos a milhares de refugiados, o que lhes permitiu fugir e sobreviver às perseguições de que eram objecto. Esta desobediência às ordens do regime de Salazar salvou milhares de pessoas, mas teve um custo pessoal muito alto, ditando o fim da sua carreira diplomática. Valeu-lhe, à época, a ajuda da comunidade judaica em Lisboa, cidade onde viria a falecer, a 3 de Abril de 1954, na mais absoluta pobreza. Os bens da casa de Cabanas de Viriato foram posteriormente vendidos em hasta pública, para pagar as dívidas contraídas.
De planta rectangular (com algumas dependências anexas), este imóvel desenvolve-se em três pisos, o último dos quais em mansarda. A fachada principal é marcada pelo maior destaque conferido à composição da zona axial antecedida, no piso térreo, pelos pilares rusticados que suportam a varanda do andar nobre e que lhe emprestam uma maior monumentalidade. A zona central é enquadrada por quatro janelas em arco de volta perfeita, e outras duas envolvem a porta central, armoriada, e de remate idêntico. No andar superior os vãos são todos de verga recta, tal como os da mansarda, rematados por frontão semicircular.
No interior, o hall de entrada exibe o já referido brasão da família: duas águas e duas espadas representam os Abranches; o leão os castelo Branco; as folhas de figueira os Figueiredo e as cinco asas os Abreu. Uma escadaria de madeira, com vitral, permite o acesso ao andar superior, onde se encontra, para além das muitas dependências, a capela.
Uma referência final para o Cristo Rei que se encontra fronteiro à casa, trazido de Louvainne em 1933.
Desde 2001 a Casa é propriedade da Fundação Sousa Mendes.
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

Roteiro Turístico - Solares e Casas Solarengas do Município de Carregal do Sal

Local

Carregal do Sal

Data

2012

Autor(es)

RIBEIRO, Carla Marisa da Costa