Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja de Santa Eufémia - detalhe

Designação

Designação

Igreja de Santa Eufémia

Outras Designações / Pesquisas

Igreja de Santa Eufémia, matriz de Penela / Igreja Matriz de Penela / Igreja Paroquial de Penela (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Coimbra / Penela / São Miguel, Santa Eufémia e Rabaçal

Endereço / Local

Largo Dr. Albino M. Cordeiro
Penela

Rua do Sul
Penela

Rua dos Paços do Concelho
Penela

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 5/2002, DR, I Série-B. n.º 42, de 19-02-2002 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A primeira referência documental à igreja de Santa Eufémia data de 1254, respeitando a um templo então situado nos arrabaldes da povoação murada de Penela. O edifício actual, resultante de uma reconstrução iniciada na primeira metade do século XVI, é um exemplar bastante representativo da arte da renascença na região de Coimbra.
O corpo da igreja assenta sobre um alto embasamento, vencido na fachada principal por escadaria de dois lances opostos, com patamar intermédio e balaustrada em mármore. A fachada, de linhas tendencialmente verticais, é vazada por elegante portal de verga recta, apilastrado, também em mármore. O portal, epigrafado com a data de 1551, possui molduras e frisos delicadamente lavrados. É flanqueado por dois tondi com bustos salientes, e encimado por grande óculo redondo, sob o pano central da fachada, rematado em empena triangular. A Sul adossa-se a sineira, de planta quadrada, com janelões redondos e coroamento piramidal, e a Norte o corpo da sacristia.
O interior é de três naves com cobertura de madeira, definidas por arcos redondos assentes em colunas toscanas. A capela-mor, acessível através de arco redondo, é coberta por abóbada de meio canhão em quatro tramos, e possui um retábulo barroco, em talha, da época de D. Pedro II, com pintura anódina do século XIX (1837). As restantes capelas conservam algumas imagens interessantes, como uma Nossa Senhora com o Menino, atribuível a alguma oficina coimbrã de finais do século XV, ou o retábulo em pedra de Ançã da capela do Espírito Santo ou do Pentecostes, este de meados do século XVI. De destacar ainda uma pia baptismal, com pé oitavado e motivos decorativos manuelinos, para além do acervo de azulejaria coimbrã, testemunha da produção regional de qualidade ao longo de alguns séculos. SML

Imagens