Saltar para o conteúdo principal da página

Quinta do Prado - detalhe

Designação

Designação

Quinta do Prado

Outras Designações / Pesquisas

Casa da Quinta do Prado (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Quinta

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Castelo Branco / Covilhã / Covilhã e Canhoso

Endereço / Local

EN 18
Covilhã

Proteção

Situação Actual

Em Vias de Classificação

Categoria de Protecção

Em Vias de Classificação (Homologado como IM -...

Cronologia

Em 10-04-2017 a CM da Covilhã informou não confirmar a classificação como de IM, considerando que o processo deveria ser arquivado
Em 30-03-2017 foi solicitado à CM da Covilhã que informasse qual a situação jurídica da classificação
Enviada cópia do processo pelo Ministério da Cultura à CM de Covilhã em 27-05-2010 a fim de ponderar a conclusão do procedimento
Edital de 21-11-1997 da CM da Covilhã
Despacho de autorização e classificação de 12-09-1997 do Ministro da Cultura
Parecer favorável de 5-04-1994 do Conselho Consultivo do IPPAR
Proposta de 4-10-1993 da DR de Coimbra para a classificação como VC
Processo iniciado em 1976

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Edificada no século XVII, a Quinta do Prado apresenta uma planta devedora da tipologia das casas nobres seiscentistas, edifícios habitualmente desenhados em U e divididos em dois registos, sendo o primeiro aproveitado para os serviços da casa e o segundo, o andar nobre, para a habitação da família. A Quinta do Prado é um conjunto composto por casa principal e capela, como era comum nas casas senhoriais seiscentistas, onde os pequenos templos privados se tornam um dos elementos mais importantes do complexo habitacional.
Dividida em dois registos na fachada principal, dispostos horizontalmente, a casa da quinta apresenta uma estrutura muito simples e depurada, de cércea relativamente baixa, alinhada com a altura da capela. O desenvolvimento das fachadas da casa, que não apresentam qualquer programa decorativo, é feito pela repetição de janelas. As fachadas laterais e a posterior, devido ao desnível do terreno em que a casa foi construída, apresentam somente um registo.
A fachada principal possui ao centro do segundo registo varanda alpendrada em granito, sobre um portal de volta perfeita, aberto no mesmo eixo e prolongado para o interior, dando acesso ao piso térreo da casa. Adossada à fachada, do lado direito, foi edificada a capela, com planta rectangular simples, tecto abobadado e altar em madeira, cuja sineira, colocada no remate da fachada, possui a seguinte inscrição: "Bernardo de Macedo mandou fazer em 1718". No lado oposto da fachada foi colocada a pedra de armas de D. Maria José de Sousa Tavares de Sampaio. A fachada lateral direita possui alpendre de madeira.
No século XIX a quinta pertenceu ao Comendador Valério Gomes Correia, fundador da Companhia Nacional de Lanifícios da Covilhã.
Catarina Oliveira

Imagens

Bibliografia

Título

Solares Portugueses

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de

Título

Castelo Branco e a sua Região

Local

Coimbra

Data

1980

Autor(es)

NUNES, António Pires

Título

Arquitectura Tradicional Portuguesa

Local

Lisboa

Data

2003

Autor(es)

OLIVEIRA, Ernesto Veiga de, GALHANO, Fernando