Saltar para o conteúdo principal da página

Castelo da Redinha (Antigo) - detalhe

Designação

Designação

Castelo da Redinha (Antigo)

Outras Designações / Pesquisas

Casa dos Templários / Paço dos Comendadores de Redinha (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Militar / Castelo

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Leiria / Pombal / Redinha

Endereço / Local

Rua do Escritório
Redinha

Proteção

Situação Actual

Procedimento encerrado / arquivado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Em 11-05-2009 foi dado conhecimento do despacho à CM de Pombal
Despacho de encerramento de 16-03-2009 do director do IGESPAR, I.P.
Parecer de 3-03-2009 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P. a propor o encerramento do processo e o envio de cópia à CM de Pombal
Proposta de 23-06-2008 da DRC do Centro, com duas hipóteses: a) determinar a abertura do procedimento de classificação; b) fixar a ZEP do Pelourinho e da Igreja Matriz, incluindo todo o núcleo em questão

Despacho de concordância de 6-01-2000 do presidente do IPPAR
Parecer de 22-11-1999 do Conselho Consultivo do IPPAR a propor a classificação como IIP
Proposta de 21-04-1997 da DR de Coimbra do IPPAR para a abertura da instrução do processo de classificação do antigo Castelo da Redinha ou Casa dos Templários
Em 20-02-1989 a CM de Pombal enviou elementos para a instrução do processo de classificação
Requerimento de classificação de 30-06-1988 dos proprietários

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

«Muito embora (...) sejam ainda visíveis ao nível do piso 0 deste imóvel, duas seteiras inseridas no muro que corresponderia à estrutura do antigo castelo, e tendo ainda em conta a localização e a cota a que este se situa, sem dúvida representativa em termos da linha de defesa territorial, não foi possível encontrar documentação histórica que comprovasse este facto, nem tão pouco que situasse de forma concreta e absoluta a referida fortaleza.
A antiquíssima freguesia de Redinha fica situada a 12 km a nor-nordeste de Pombal, e teria sido povoada desde pelo menos o ano de 364 a.C., num outeiro denominado Rêda ou Rhoda, que constituía já então um excelente ponto de defesa. Era um florescente oppidum lusitano à chegada dos Romanos, mas foi posteriormente destruída durante as invasões bárbaras, sendo mais tarde restaurada e designada por Rodina pelos Visigodos. Doada aos Templários por D. Teresa em 1128, com a obrigação de reconstruírem o castelo e repovoarem de cristãos a povoação, teve foral de D. Gualdim Pais em Junho de 1159, e foral novo de D. Manuel I em 16 de Dezembro de 1513.
Quanto ao castelo, a fortaleza de Rhoda, teria sido erguido no dito outeiro, situado hoje no extremo norte da vila. Arrasado posteriormente pelos Árabes, foi substituído por um novo castelo localizado no ponto onde se situa a Igreja Matriz da actual povoação de Redinha, e mais tarde por um outro, mandado construir por D. Pedro Froilaz, antecessor de D. Gualdim na chefia desta ordem. Contudo, como durante a reconquista cristã a faixa de território situada entre Coimbra e Santarém foi palco de lutas constantes, houve sempre necessidade de melhorar o sistema defensivo, o que deve ter implicado diversas reconstruções deste último.
Não obstante a persistência da designação toponímica do local, não existem vestígios materiais visíveis que possam ser identificados como pertencentes ao antigo Castelo de Redinha, para além dos já referidos e que se inserem no imóvel que corresponderá então à provável "Casa dos Templários"(...). Assim, pode considerar-se que os vestígios arqueológicos encontrados, conquanto insipientes, são comprovativos da existência de estruturas muito antigas neste local (...).»
Memória histórica do Processo de classificação, Abril de 1997