Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja de Santo António - detalhe

Designação

Designação

Igreja de Santo António

Outras Designações / Pesquisas

Igreja de Santo António (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Capela

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Beja / Alvito / Alvito

Endereço / Local

Terreiro de Santo António
Alvito

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Declaração de retificação n.º 292/2013, DR, 2.ª série, n.º 47, de 7-03-2013 (retificou a planta anexa à portaria anterior) (ver Declaração)
Portaria n.º 740-EG/2012, DR, 2.ª série, n.º 252 (suplemento), de 31-12-2012 (ver Portaria)
Edital N.º 4 de 5-02-1997 da CM de Alvito
Despacho de autorização de 2-01-1997 do Ministro da Cultura
Despacho de concordância de 20-10-1996 do presidente do IPPAR
Parecer de 29-10-1996 do Conselho Consultivo do IPPAR a propor a classificação como IIP
Proposta de classificação de 30-09-1996 da DR de Évora
Edital N.º 30 de 18-06-1996 da CM de Alvito
Despacho de abertura de 17-05-1996 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de 10-05-1996 da DR de Évora para a abertura da instrução do processo de classificação
Processo iniciado em 1986 no IPPC

ZEP

Devolvido à DRC do Alentejo por despacho de 16-10-2013 do diretor-geral da DGPC, para reanálise
Nova proposta de 18-07-2013 da DRC do Alentejo
Parecer favorável de 31-07-2009 da CM de Alvito
Parecer favorável de 30-04-2009 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Proposta de 7-11-2008 da DRC do Alentejo

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Igreja de nave única, de planta rectangular, caracteriza-se pela simplicidade de linhas e pela escassa fenestração, mantendo, como elementos de destaque, o portal recto encimado por volutas e uma volumetria que se impõe na paisagem circundante. Fundada durante o período filipino pela Ordem de São Francisco da Província dos Algarves, possui duas capelas laterais, dedicadas a S. Domingos e ao Sr. Jesus dos Passos; a capela-mor é inteiramente revestida de azulejos de padrão azuis e brancos, datáveis de finais do séc. XVII, e possui um notável retábulo maneirista, em talha, constituído por 7 painéis com pintura sobre tábua, sendo o painel central formado por um nicho com a imagem do padroeiro. As pinturas representam cenas da vida de Santo António e de Sâo Domingos, com excepção do painel do tímpano, dedicado à invocação da Santíssima Trindade; a abóbada da capela mor encontra-se decorada com pinturas murais de grotescos e motivos florais que enquadram um medalhão central representando a morte de São Francisco, numa composição atribuível ao barroco joanino. SML

Imagens