Saltar para o conteúdo principal da página

Convento de São Francisco ou de Nossa Senhora dos Mártires - detalhe

Designação

Designação

Convento de São Francisco ou de Nossa Senhora dos Mártires

Outras Designações / Pesquisas

Convento de Nossa Senhora dos Mártires / Convento de São Francisco (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Convento

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Beja / Alvito / Alvito

Endereço / Local

Quinta dos Mártires
Alvito

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 573/2011, DR, 2.ª série, n.º 104, de 30-05-2011 (ver Portaria)
Despacho de homologação de 11-04-2011 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer de 30-04-2009 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P. favorável à classificação como IIP
Edital n.º 9 de 12-03-2004 da CM de Alvito
Despacho de homologação de 23-03-2000 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer de 22-11-1999 do Conselho Consultivo do IPPAR. a propor a classificação como IIP
Despacho de abertura de 18-04-1995 do presidente do IPPAR
Proposta de abertura de 13-04-1995 da DR de Évora do IPPAR
Proposta de classificação de 6-02-1987 da CM de Alvito

ZEP

Portaria n.º 573/2011, DR, 2.ª série, n.º 104, de 30-05-2011 (sem restrições) (ver Portaria)
(Não foi publicado edital atendendo a que toda a ZEP se encontra em terrenos pertencentes á proprietária do convento, que foi notificada diretamente)
Despacho de homologação de 11-04-2011 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer favorável de 30-04-2009 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Proposta de 25-03-2009 da DRC do Alentejo

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Segundo a tradição, o local onde se situa o convento franciscano de Nossa Senhora dos Mártires albergou em tempos um cenóbio beneditino que era a cabeça de uma grande propriedade agrícola, e onde terá permanecido São Neutel (ESPANCA, 1992).
Na realidade, não existem vestígios da presença destes monges, sabendo-se apenas que uma comunidade de frades franciscanos se instalou no local e aí fundou um convento, com autorização papal, em 1515 (Idem, ibidem). Pouco tempo depois, o cenóbio integrou o padroado dos barões de Alvito, D. Rodrigo Lobo da Silveira e D. Guiomar de Castro (Idem, ibidem), que por esse facto são muitas vezes considerados os fundadores da casa conventual.
Do convento franciscano restam três alas, uma vez que nos finais do século XIX a ala sul, que correspondia às cozinhas, refeitório e outras dependências utilitárias, foi destruída para ser edificar uma casa de habitação particular (Idem, ibidem).
Do que ainda subsiste do conjunto destacam-se a igreja e o claustro, edificações renascentistas de linguagem erudita, e a Capela dos Reis Magos, um templete maneirista de planta quadrangular edificado junto à antiga horta do convento.
Catarina Oliveira
IPPAR/2006

Imagens

Bibliografia

Título

Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Beja, Vol. XII

Local

Lisboa

Data

1992

Autor(es)

ESPANCA, Túlio

Título

A arquitectura manuelina

Local

Vila Nova de Gaia

Data

2009

Autor(es)

DIAS, Pedro