Saltar para o conteúdo principal da página

Ermida de Nossa Senhora da Represa - detalhe

Designação

Designação

Ermida de Nossa Senhora da Represa

Outras Designações / Pesquisas

Antiga Ermida de São Caetano / Ermida de São Caetano / Ermida de Nossa Senhora da Represa (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Ermida

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Beja / Cuba / Vila Ruiva

Endereço / Local

EN 258, Cuba-Alvito, a 2 km de Vila Ruiva
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 121/2013, DR, 2.ª série, n.º 48, de 8-03-2013 (ver Portaria)
Procedimento prorrogado até 30-06-2013 pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Relatório final do procedimento aprovado por despacho de 28-11-2012 da diretora-geral da DGPC
Anúncio n.º 13466/2012, DR, 2.ª série, n.º 187, de 26-09-2012 (ver Anúncio)
Despacho de 6-03-2012 do diretor do IGESPAR, I.P. a determinar que a categoria a atribuir seja a de MIP
Parecer de 29-02-2012 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura a concordar com a classificação
Procedimento prorrogado pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Proposta de 28-12-2010 da DRC do Alentejo para a classificação como de IP
Edital de 20-12-1996 da CM de Cuba
Despacho de abertura de 3-12-1996 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de 28-11-1996 da DR de Évora para a abertura da instrução do processo de classificação
Envio de elementos em 14-07-1989 pela CM de Cuba
Processo iniciado em 1974

ZEP

Portaria n.º 121/2013, DR, 2.ª série, n.º 48, de 8-03-2013 (sem restrições) (ver Portaria)
Relatório final do procedimento aprovado por despacho de 28-11-2012 da diretora-geral da DGPC
Anúncio n.º 13466/2012, DR, 2.ª série, n.º 187, de 26-09-2012 (ver Anúncio)
Despacho de concordância de 6-03-2012 do diretor do IGESPAR, I.P.
Parecer favorável de 29-02-2012 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Proposta de 28-12-2010 da DRC do Alentejo

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A pequena Ermida de Nossa Senhora da Represa, antiga Ermida de São Caetano, deve a sua designação actual à proximidade, a poucos metros, de uma barragem datável da ocupação romana de Vila Ruiva, da qual ficou igualmente uma ponte na localidade, onde passava a via que ligava Évora a Beja. A ermida e a represa, hoje reduzida aos restos de um paredão, levantam-se perto do entroncamento entre as estradas de Cuba, Vila Alva e Vila Ruiva, a cerca de 2 km desta freguesia. Trata-se de um conjunto formado pela igrejinha e por algumas casas próximas, destinadas aos ermitas e aos peregrinos, que a determinada altura acorriam em grande número ao templo.
O edifício encontra-se dentro de um recinto murado, sobre plataforma destinada a vencer o desnível do terreno, com cruzeiro fronteiro. A fachada principal é antecedida por nártex quadrangular com abóbada de ogivas, sendo cada muro vazado por uma arcada redonda, e rematado em frontão triangular sobre cornija continuada. Os contrafortes dos cunhais são encimados por grandes merlões sobrepujados de coruchéus piramidais, que se repetem a meio dos frontões, e ainda sobre a fachada do templo, igualmente rematada por frontão triangular, sobre o qual se ergue a sineira. As paredes laterais são ritmadas por quatro contrafortes. A capela-mor é de planta quadrada, aposta ao volume longitudinal da nave única, prolongado pelo referido nártex. O acesso faz-se por portal de verga recta.
No interior, de nave única coberta por cruzaria de ogivas, encontram-se muitos vestígios de pinturas murais do século XVII, razão pela qual a ermida está incluída na Rota do Fresco, um percurso destinado a divulgar a pintura mural dos concelhos de Alvito Cuba, Portel, Vidigueira e Viana do Alentejo. A abóbada possui decoração de grotescos, com putti e anjos músicos, e ainda medalhões centrais, onde se podem ver símbolos marianos e uma cena representando a Adoração do Menino. O templo integra ainda algum património azulejar, sendo de realçar o frontal do altar-mor, exibindo uma composição com aves e ramagens, de inspiração luso-oriental, do século XVII. Também as paredes da nave são revestidas por painéis de azulejos de tapete, azuis e amarelos, que se repetem na sacristia. Note-se que a existência de frescos e painéis de azulejos policromos do séc. XVII é, de resto, comum a várias igrejas do concelho. A capela-mor é coberta por abóbada de arestas, com chaves e mísulas lavradas. O retábulo é de talha dourada e policromada, setecentista.
A ermida de São Caetano foi um importante centro de peregrinação regional, devido à fama dos milagres atribuídos à intercessão do seu padroeiro original, cuja imagem chegou a ser considerada, no século XVIII, como a mais milagrosa de todo o reino. Com o tempo, esta devoção foi progressivamente substituída pelo culto de Nossa Senhora da Represa.
As pinturas murais foram objecto de uma intervenção de restauro, em parceria IPPAR / OCRE (2003). SML

Imagens