Saltar para o conteúdo principal da página

Edifício dos Paços do Concelho - detalhe

Designação

Designação

Edifício dos Paços do Concelho

Outras Designações / Pesquisas

Edifício dos Paços do Concelho de Sintra / Edifício dos Paços do Município de Sintra / Câmara Municipal de Sintra / Edifício dos Paços do Concelho(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Edifício

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Sintra / Sintra (Santa Maria e São Miguel, São Martinho e São Pedro de Penaferrim)

Endereço / Local

Rua Guilherme Gomes Fernandes
Sintra

Travessa do Município
Sintra

Largo Dr. Virgílio Horta
Sintra

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIM - Monumento de Interesse Municipal

Cronologia

Declaração de retificação n.º 583/2012, DR, 2.ª série, n.º 86, de 3-05-2012 (retificou a categoria de classificação para monumento de interesse municipal - MIM) (ver Declaração)
Edital n.º 1280/2011, DR, 2.ª série, n.º 246, de 26-12-2011 (classificou como de interesse municipal - IM) (ver Edital)
Edital n.º 446/2011, de 17-10-2011 da CM de Sintra
Despacho de 17-10-2011 do presidente da CM de Sintra a aprovar a classificação como de IM
Edital n.º 797/2011, DR, 2.ª série, n.º 156, de 16-08-2011 (ver Edital)
Despacho de 28-07-2011 do presidente da CM de Sintra a sujeitar a audiência prévia dos interessados o projecto de decisão de classificação do imóvel como de IM
Despacho de revogação de 23-12-2010 do director do IGESPAR, I.P.
Proposta de 20-12-2010 da DRC de Lisboa e Vale do Tejo para a revogação do despacho de abertura, por o imóvel não ter valor nacional
Edital N.º 176/06 de 3-04-2006 da CM de Sintra
Despacho de abertura de 3-03-2006 da vice-presidente do IPPAR
Proposta de 17-02-2006 da DR de Lisboa para a abertura de procedimento de classificação de âmbito nacional
Pedido de parecer de 21-06-2005 da CM de Sintra sobre a eventual classificação como de IM
Em 12-12-1991 foi solicitado à CM de Sintra o envio de documentação para a instrução de um processo de classificação
Em 23-04-1991 a CM de Sintra informou que a AM de Sintra tinha deliberado, por proposta da autarquia, classificar o imóvel como VC

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

Abrangido pela Zona Tampão da "Paisagem Cultural e Natural de Sintra", incluída na Lista de Património Mundial - ZEP (nº 2 do art.º 72.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, de 23 de Outubro)

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
O atual edifício dos Paços do Concelho da vila de Sintra foi edificado estrategicamente no ponto de encontro entre a velha Sintra e o novo bairro da Estefânia, junto à principal via de acesso, a estrada EN249, designada hoje como Volta do Duche. O centro administrativo acompanhava assim a deslocação do eixo económico-social de Sintra, a partir de então situado nos novos arruamentos ocupados pela burguesia, nas proximidades da movimentada estação dos caminhos-de-ferro inaugurada em 1887.
Para o edifício foi escolhido um projeto do arquiteto Adães Bermudes, a quem seria também encomendada a vizinha cadeia da comarca, sendo ambos testemunhos do gosto revivalista então predominante, com ênfase nas citações neo-medievais e neo-manuelinas. Portuense de nascimento foi nessa cidade que adquiriu a sua formação de base na Academia de Belas Artes, tendo depois partido para Paris onde concluiu os estudos na École de Beaux Arts de Paris.
A obra dos Paços do Concelho começou em 1906 e terminou em 1909, tendo resultado num palacete pitoresco, perfeitamente adequado ao ambiente romântico da vila. Os alçados revelam alguma sobriedade, de resto concordante com as características de algum Manuelino original, e inclusivamente com a tipologia das fachadas do Paço Real sintrense. Destacam-se, ainda que com decoração algo contida, as janelas neo-Manuelinas, mais elegantes no piso nobre, com arcos polilobados, capitéis e evocação renascentista, com alpendre térreo vazado por arcadas redondas e loggia aberta por arcos polilobados e festonados. Este corpo é rematado por um frontão retangular exibindo a heráldica municipal, onde a dimensão do escudo sugere uma influência mais plateresca do que propriamente manuelina.
O monumento integra ainda uma grande torre ameiada, coroada por um coruchéu piramidal (oitavado) revestido a azulejos e encimado por uma esfera armilar, onde se representa alternadamente a Cruz da Ordem de Cristo e o Escudo de Portugal, numa composição livre de elementos típicos da arquitetura do início de Quinhentos. O piso superior da torre possui guaritas nos ângulos, rematadas por quatro coruchéus oitavados, sugerindo uma referência à Torre de Belém e à arquitetura militar. No interior existe um claustro de decoração exuberante, neo-Manuelina e Renascentista.

História
O atual edifício dos Paços do Concelho foi edificado no local onde, até ao início do século XX, se erguia uma antiga ermida dedicada a São Sebastião. No início da centúria de novecentos, por se apresentar em avançado estado de ruína e em eminente perigo de colapso, deliberou a Câmara Municipal de Sintra a demolição deste templo, dando assim lugar aos novos paços do concelho. O novo edifício veio também substituir as anteriores instalações municipais, um imóvel setecentista próximo do Palácio da Vila. Dos antigos Paços do Concelho resta ainda uma pedra de armas da Vila de Sintra, retirada da fachada do edifício aquando da transferência dos serviços, e que hoje está guardada no Museu Municipal. A construção desta nova casa da câmara na zona da Estefânia justifica-se pelo acelerado crescimento da vila, nomeadamente após a inauguração da via ferroviária. A criação de novos arruamentos, iniciada logo após o terremoto de 1755, conduziu progressivamente à criação do Bairro da Estefânia, em homenagem à Rainha D. Estefânia, mulher de D. Pedro V, levantado em torno do local onde, primeiramente, se haviam construído as casas dos engenheiros ferroviários que para aí foram deslocados. Desde então a Estefânia (ou Estefânea) passou a conviver com a designada Vila Velha, centrada no Palácio da Vila e na sua praça fronteira.
Sílvia Leite/2011. Atualização de Maria Ramalho/DGPC/2015. Colaboração de Jorge de Matos, C. M. Sintra.

Imagens

Bibliografia

Título

O Neomanuelino ou a reinvenção da arquitectura dos Descobrimentos.

Local

Lisboa

Data

1994

Autor(es)

ANACLETO, Regina

Título

A Casa Municipal de Sintra

Local

Sintra

Data

1998

Autor(es)

MONTOITO, Eugénio