Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja da Misericórdia de Pedrógão Grande e edifício contíguo - detalhe

Designação

Designação

Igreja da Misericórdia de Pedrógão Grande e edifício contíguo

Outras Designações / Pesquisas

Edifício e Igreja da Santa Casa da Misericórdia de Pedrógão Grande(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Leiria / Pedrógão Grande / Pedrógão Grande

Endereço / Local

Largo da Misericórdia
Pedrógão Grande

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 28/82, DR, I Série, n.º 47, de 26-02-1982 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
A Igreja da Misericórdia situa-se no núcleo primitivo da vila de Pedrógão Grande, sendo delimitada por algumas das suas mais antigas ruas, como a rua Rica e a rua da Estação Velha. O edifício encontra-se num pequeno largo que hoje, infelizmente, serve de parque de estacionamento, tendo ao seu redor um conjunto de habitações de um, ou dois pisos. De referir que este espaço é igualmente utlizado como ponto de encontro das cerimónias religiosas que se realizam na Semana Santa.
Pela tipologia que apresenta, podemos situar a fundação da igreja da Misericórdia na segunda metade do século XVI. Apesar da reduzida dimensão e das características regionais que apresenta, este templo corresponde a um modelo tipicamente maneirista, de cariz erudito. Por outro lado, esta igreja é semelhante a outras igrejas da Misericórdia construídas em Portugal na mesma época, apresentando uma planta de nave única retangular, formando um espaço unitário articulado com a capela-mor.
Construída em granito da região, bem patente nos cunhais aparentes que contrastam com o branco do revestimento caiado, apresenta uma fachada que tem como único elemento decorativo o portal com moldura retangular ladeada por pilastras, precedido por átrio e escada de três degraus. Sobre o portal surge um nicho rematado por frontão triangular que, atualmente, se encontra despido mas onde outrora esteve a imagem de Santa Isabel, datada da mesma época da igreja. Ainda sobre o nicho é possível observar um pequeno óculo que permite a entrada de luz para a zona da nave.
Do lado direito da fachada foi edificada uma escada com varanda alpendrada em pedra granítica que dá acesso à antiga Sala do Capítulo, Sacristia e Sala da Irmandade, atual Museu de Arte Sacra. De destacar ainda, no edifício do Museu, a torre sineira, sobre uma porta lateral. Esta sineira que surge rematada por uma cruz de granito, ostenta apenas um único sino.
No interior a nave, e a capela-mor, formam um espaço unitário coberto por teto de madeira. O retábulo-mor, restaurado recentemente, é de talha maneirista, cujas tábuas, seis ao todo, apresentam, ao nível inferior uma cena de Pentecostes ladeada pelas representações da Natividade e da Anunciação. Nos painéis superiores é visível uma cena da Visitação com moldura oval ladeada pelas figurações da Circuncisão e da Adoração dos Magos. Considera-se que estas tábuas podem ser obra de Álvaro Nogueira (1560-1635) da escola de Coimbra (SOUSA).

História
Fundada na primeira metade do século XVI, a Irmandade da Misericórdia de Pedrógão Grande edificou o seu templo junto ao antigo hospital da povoação, instituído em 1470, data anterior à fundação da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa pela Rainha Dona Leonor a 15 de Agosto de 1498. De facto, verifica-se que antes do estabelecimento da Misericórdia em Pedrógão Grande, existia uma instituição designada como Albergaria de São Pedro, possuindo esta algumas atribuições que, mais tarde, transitariam para Misericórdia tais como o acolhimento dos peregrinos e a assistência às populações. À semelhança do que aconteceu em muitas outras povoações portuguesas quinhentistas, a Misericórdia de Pedrógão Grande tornou-se, com o passar do tempo, a irmandade mais proeminente da urbe dedicada à ação assistencial.

Maria Ramalho/DGPC/2017.

Imagens

Bibliografia

Título

Inventário Artístico de Portugal, vol. V (Distrito de Leiria)

Local

Lisboa

Data

1955

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos

Título

Pedrógão Grande - subsídios para uma monografia

Local

Coimbra

Data

1980

Autor(es)

QUINTEIRA, António José Ferreira

Título

O retábulo da igreja da Misericórdia de Pedrógão Grande e o pintor Álvaro Nogueira, Voz das Misericórdias

Local

-

Data

1985

Autor(es)

SOUSA, M. I. Rocha