Saltar para o conteúdo principal da página

Marco da IV Légua da estrada real Lisboa-Santarém - detalhe

Designação

Designação

Marco da IV Légua da estrada real Lisboa-Santarém

Outras Designações / Pesquisas

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Marco

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Vila Franca de Xira / Alverca do Ribatejo e Sobralinho

Endereço / Local

- -
Alverca do Ribatejo

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 758/2014, DR, 1.ª série, n.º 187, de 29-09-2014 (alterou a designação) (ver Portaria)
Declaração de Retificação n.º 43/2014, DR, 1.ª série, n.º 187, de 29-09-2014 (declara sem efeito a portaria anterior, por ter sido publicada na 1.ª série) (ver Declaração)
Portaria n.º 187/2014, DR, 1.ª série, n.º 179, de 17-09-2014 (alterou a designação) (ver Portaria)
Decreto n.º 32 973, DG, I Série n.º 175, de 18-08-1943 (classificou o marco de légua na [EN 12-1 (atual EN 10)], ao quilómetro 16,50 (ver Decreto)

ZEP

Portaria n.º 758/2014, DR, 1.ª série, n.º 187, de 29-09-2014 (sem restrições) (ver Portaria)
Declaração de Retificação n.º 43/2014, DR, 1.ª série, n.º 187, de 29-09-2014 (declara sem efeito a portaria anterior, por ter sido publicada na 1.ª série) (ver Declaração)
Portaria n.º 187/2014, DR, 1.ª série, n.º 179, de 17-04-2014 (ver Portaria)
Anúncio n.º 13161/2011, DR, 2.ª série, n.º 182, de 21-09-2011 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 23-03-2010 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Proposta de alteração de 23-04-2009 da EP - Estradas de Portugal, S.A.
Parecer favorável de 11-06-2008 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Proposta de 14-5-2008 da DRC de Lisboa e Vale do Tejo

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O Marco que assinalava a IV Légua da antiga estrada real, que ligava Lisboa a Santarém, foi construído em 1788, por iniciativa da rainha D. Maria I que, por esta altura, determinou a marcação desta via por marcos, dos quais sabemos terem existido doze. Na sua configuração original, este monumento era idêntico ao que assinala a VI Légua (o único que se conserva in situ no actual concelho de Vila Franca de Xira). No entanto, diversas vicissitudes levaram a que este marco tenha chegado aos nossos dias em várias parcelas e em local distinto para o que tinha sido originalmente determinado.
Estruturalmente, o marco compunha-se de três partes: a base era cúbica e formada por duplo soco e plinto; o corpo correspondia à parcela central e era o elemento que melhor revelava a verticalidade do monumento, compondo-se de paralelepípedo rectangular, em cuja face principal existia uma inscrição comemorativa da construção, com a data e as armas nacionais; o coroamento era composto por duas peças, sendo a inferior uma estrutura piramidal de base quadrada e a superior uma esfera pétrea, que rematava o conjunto e que incorporava um relógio de Sol, dotado de gnomon metálico entretanto desaparecido, mas de que restam alguns vestígios na esfera.
Este marco manteve-se no local original até 1985. Nesse ano, um acidente rodoviário destruiu-o parcialmente, o que levou a Junta de Freguesia de Alverca a removê-lo para o centro da localidade e a musealizá-lo de alguma forma, colocando-o no Largo César Alípio Ferreira (antigo Largo do Mercado), numa zona relvada e protegido por gradeamento metálico. No entanto, a parte conservada pela Junta de Freguesia resume-se ao coroamento, encontrando-se a secção inferior em local incerto.
À semelhança do que aconteceu com a esmagadora maioria dos antigos marcos viários das estradas portuguesas, também este não chegou aos nossos dias, intacto e no local fundacional. A boa vontade do poder local de Alverca se, por um lado, conservou uma parcela importante da obra, capaz de assegurar uma ligação de memória com o passado da região, por outro não foi suficiente para criar uma estrutura no próprio local de implantação original, facto que fomenta a descontextualização do monumento das condições que permitiram a sua edificação.
PAF

Imagens

Bibliografia

Título

Estrada de Lisboa a Santarém. Demarcação, Vida Ribatejana, nº especial dedicado a Vila Franca de Xira

Local

Lisboa

Data

1964

Autor(es)

SARMENTO, Zeferino

Título

Monografia de Alverca

Local

Alverca

Data

1998

Autor(es)

PACHECO, José do Carmo

Título

Das gentes e terras do concelho de Vila Franca de Xira. O Corpo e a Alma da Freguesia de Alverca do Ribatejo, 2 vols.

Local

Alverca

Data

-

Autor(es)

GABRIEL, Adriano