Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Nisa - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Nisa

Outras Designações / Pesquisas

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Portalegre / Nisa / Espírito Santo, Nossa Senhora da Graça e São Simão

Endereço / Local

Praça do Município
Nisa

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O primeiro Foral de Nisa foi outorgado entre 1229 e 1232, por Frei Estêvão de Belmonte, Mestre da Ordem do Templo, a quem pertenciam os terrenos que incluíam a povoação (então integrada na grande Herdade da Açafa), por doação de D. Sancho I. Não existindo já este documento, comprova-se a existência deste antigo foral através da referência que lhe é feita no idêntico foral da Vila do Crato (este de 1232). No entanto, a exacta localização do burgo de então não seria a actual, já que as contendas entre D. Dinis e seu irmão, D. Afonso Sanches, senhor da vizinha Castelo de Vide, que aí tiveram palco, terão levado à transferência do município para terrenos no vale do Azambujal, a uma certa distância da sua implantação primitiva, no cabeço a partir de então conhecido por Nisa-a-Velha (ou Monte de Nossa Senhora da Graça). A situação fronteiriça de Nisa determinaria sempre largos investimentos nas suas fortificações, bem como um papel fundamental na defesa da independência do território, que receberia de D. João I o título de " Mui Notável" vila. Em 1512 D. Manuel I atribuiu-lhe novo Foral, e na sequência deste foi levantado um pelourinho, entretanto destruído. O pelourinho actual é já do século XVIII, e mesmo este não chegou aos nossos dias sem sofrer alguns acidentes e transformações, após a ordem de demolição emitida pela Vereação em 1877. Sabe-se que o fuste, com o plinto da base, serviu como poste de uma tabuleta comercial junto à Capela do Calvário da vila, e suporte para cartazes à entrada da Praça do Rossio, enquanto os degraus cumpriam a função de bancos no mesmo local, nas primeiras décadas do século XX . Os restantes elementos (ferros, capitel e remate) estavam à guarda da câmara, tendo sido reunidos e remontados no pequeno jardim diante do actual edifício dos Paços do Concelho, igualmente oitocentista, em 1940.
O pelourinho é constituído por uma plataforma de três degraus quadrangulares, com arestas salientes e boleadas, sobre a qual assenta o conjunto da base, fuste e remate. A base da coluna é um paralelepípedo alto, com faces molduradas e decoradas com dois florões em disposição vertical. O fuste é uma esguia pirâmide truncada no topo, de secção octogonal e faces lisas, sustentando um singelo capitel moldurado, onde se destaca um brasão de armas. Entre o fuste e o capitel estão os ferros de sujeição, recurvos, dispostos em cruz, e conservando as argolas. O remate é composto por um pequeno pináculo, uma esfera armilar a eixo, e sobre esta uma mão empunhando uma espada na vertical, sendo estes últimos elementos em ferro. A espada, recordando a sua congénere do pelourinho de Vila do Conde (este quinhentista), é uma imagem clara da Justiça. De notar ainda que o pelourinho original incluía quatro brasões no capitel, conhecendo-se os temas de três deles. Tratava-se do brasão de Nisa, do escudo nacional, e de uma legenda que rezava "Nos populo damus" (José Francisco FIGUEIREDO, 1956). SML

Imagens

Bibliografia

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde

Título

Os Pelourinhos. Elementos para o seu catálogo geral

Local

Lisboa

Data

1938

Autor(es)

CHAVES, Luís

Título

Monografia da Notável Vila de Nisa

Local

Sintra

Data

1956

Autor(es)

FIGUEIREDO, José Francisco

Título

Memória Histórica da Notável Vila de Nisa

Local

Lisboa

Data

1982

Autor(es)

MOURA, José Dinis da Graça Mota