Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Fonte Arcada - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Fonte Arcada

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Fonte Arcada(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viseu / Sernancelhe / Fonte Arcada e Escurquela

Endereço / Local

- -
Fonte Arcada

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto)
Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

Declaração de rectificação n.º 322/2011, DR, 2.ª série, n.º 27, de 8-02-2011 (retifica para: fixa a ZEP conjunta do Paço da Loba, da igreja matriz de Fonte da Arcada e do Pelourinho de Fonte da Arcada) (ver Diploma)
Portaria n.º 250/2011, DR, 2.ª série, n.º 17, de 25-01-2011 (sem restrições) (dispõe que o Paço da Loba beneficia da ZEP coincidente com a ZEP conjunta da igreja matriz de Fonte da Arcada e Pelourinho de Fonte da Arcada) (ver Portaria)
Despacho de homologação de 14-10-2010 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer favorável de 7-01-2009 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Proposta de 19-09-2008 da DRC do Norte para a ZEP conjunta da Fonte Arcada (Paço da Loba, Igreja Matriz e Pelourinho)

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Numa região de abundantes recursos cinegéticos que desde cedo proporcionaram a diferentes comunidades humanas os meios necessários à sua subsistência, não surpreende que as actividades directamente relacionadas com a agricultura ganhassem força e consistência ao longo dos tempos, transformando-se, na verdade, numa das suas maiores valências económicas e razão de engrandecimento populacional.
Das freguesias que constituem o concelho viseense sobressai Fonte Arcada (designação possivelmente derivada de uma fonte com arcada construída no período romano), terra de remotas origens onde se mantém o traçado arquitectónico característico das antigas povoações de raízes medievais existentes nesta região do interior português, distribuindo-se em solos férteis do altiplanalto rasgado pelo Rio Távora, em plena Beira Transmontana.
No início da formação e consolidação da nacionalidade, Fonte Arcada pertenceu, com a morte de D. Teresa (1092-1130), a D. Egas Moniz (c. 1080-1146) "de Ribadouro", cognominado de o 'Aio' - de D. Afonso Henriques (1109-1185) -, e a sua mulher, D. Teresa Afonso (c. 1100-?) (aia dos cinco filhos do primeiro monarca português), que a legaram a seu descendente Soeiro Viegas (c. 1130-?), a cuja viúva, D. Sancha Bermudes (c. 1130-?), deve a obtenção, em 1193, da primeira carta de foral. Não obstante, a povoação conheceu maior desenvolvimento entre os séculos XIV e XVII, período em que assistiu a obras de melhoramento de alguns dos seus mais antigos edifícios, a exemplo da igreja matriz.
De entre as estruturas erguidas ao tempo, destaca-se o pelourinho quinhentista, esse símbolo, por excelência, de autonomia judicial, ainda que a aldeia já desfrutasse de privilégios no reinado de D. Sancho I (1154-1212), numa realidade confirmada com D. Manuel I (1469-1521), de quem obteve novo foral, em 1514, ano em que aforou outras povoações circundantes, a exemplo de Sernancelhe.
Construído numa das matérias-primas mais abundantes na região - granito -, o pelourinho ergue-se na praça principal sobre plataforma de seis degraus octogonais e base de um único degrau de igual configuração, na qual assenta a base quadrada do fuste da coluna, de secção oitavada, com aproximadamente cinco metros de altura, culminada em capitel quadrangular, como quadrado é o tabuleiro que suporta, com uma roseta em cada face e ostentando, no topo, quatro pináculos, com cerca de quarenta centímetros, lavrados como se de folhagens se tratassem, rodeando um quinto, cilíndrico-galbado com anel na extremidade.
[AMartins]

Imagens

Bibliografia

Título

Beira Histórica Arqueológica e Artística: Memórias de Viseu (Arredores)

Local

Viseu

Data

1941

Autor(es)

COELHO, José M. A.

Título

Pelourinhos das Beiras

Local

Lisboa

Data

1936

Autor(es)

CARDOSO, Nuno Catarino

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde

Título

Os Pelourinhos. Elementos para o seu catálogo geral

Local

Lisboa

Data

1938

Autor(es)

CHAVES, Luís

Título

Os pelourinhos e os cruzeiros, Arte Portuguesa, As Artes Decorativas (dir. João Barreira), pp. 75-104

Local

Lisboa

Data

-

Autor(es)

CHAVES, Luís

Título

Pelourinhos do Distrito de Viseu

Local

Viseu

Data

1998

Autor(es)

SOUSA, Júlio Rocha e

Título

Pelourinhos da Beira Alta, in Revista Beira Alta, vol. XXI

Local

-

Data

1962

Autor(es)

REAL, Mário Guedes

Título

Pelourinhos Portugueses

Local

Inapa

Data

1991

Autor(es)

MAGALHÃES, Fernando Perfeito de

Título

Fonte Arcada, Tesouros Artísticos de Portugal

Local

Lisboa

Data

1976

Autor(es)

ALMEIDA, José António Ferreira de

Título

Roteiro Turístico do Distrito de Viseu

Local

Viseu

Data

1981

Autor(es)

CORREIA, Alberto