Saltar para o conteúdo principal da página

Casa da Torre - detalhe

Designação

Designação

Casa da Torre

Outras Designações / Pesquisas

Casa da Torre de Alvite / Torre do Outeiro (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Cabeceiras de Basto / Alvite e Passos

Endereço / Local

- -
Alvite

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 740-AR/2012, DR, 2.ª série, n.º 248 (suplemento), de 24-12-2012 (ver Portaria)
Anúncio n.º 13383/2012, DR, 2.ª série, n.º 172, de 5-09-2012 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 19-12-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Proposta de 16-11-2011 da DRC do Norte para a classificação como MIP
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de abertura de 10-07-2001 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de abertura de 9-07-2001 da DR do Porto
Proposta de classificação de 18-03-1985 da CM de Cabeceiras de Basto

ZEP

Portaria n.º 740-AR/2012, DR, 2.ª série, n.º 248 (suplemento), de 24-12-2012 (sem restrições) (ver Portaria)
Anúncio n.º 13383/2012, DR, 2.ª série, n.º 172, de 5-09-2012 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 19-12-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Proposta de 16-11-2011 da DRC do Norte

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Edificada, muito possivelmente, no século XVII, mas profundamente remodelada na centúria seguinte, a casa da Torre de Alvite destaca-se pelo conjunto de volumes que a caracteriza, numa disposição dinâmica, e muito cenográfica.
Não sabemos a quem se deve a sua construção, muito embora o seu primeiro proprietário conhecido, João Leite Pereira, aqui tenha falecido em 1689. Nesta época, deveria existir um núcleo habitacional, posteriormente reedificado por Rozendo de Abreu Leite Pereira (sobrinho-neto do primeiro), uma vez que é o seu brasão que figura sobre o portal (STOOP, 2000, p. 110).
O núcleo principal da casa é formado pela capela, pela torre e pelo portal armoriado, de acesso ao edifício habitacional, desenvolvido em torno de um pátio interno, descoberto, com uma fonte ao centro. A capela, de planta longitudinal, apresenta fachada profusamente decorada, com portal de verga recta coroado por frontão de aletas, interrompido por vieira. Dois óculos envoltos por enrolamentos abrem-se sob o entablamento que suporta o frontão semicircular, interrompido por vieira e cruz. O tímpano apresenta nicho central e no prolongamento das pilastras laterais elevam-se os pináculos. Dedicada à Sagrada Família, a capela comunica com a torre através da porta do coro. O retábulo-mor, em talha pintada em tons de branco, é de estilo joanino.
Em ângulo com a capela, encontra-se a fachada com portal de linhas rectas, encimado pelo brasão de armas, que faz elevar a cornija, formando um frontão semicircular, coroado por pináculos. Na intersecção destes dois volumes, ergue-se a torre, de três pisos, rematada por merlões chanfrados. Sem qualquer função defensiva, a torre pode ser entendida como uma sobrevivência de um dos modelos mais utilizados pela arquitectura civil medieval do Norte do país, prolongada pelos séculos seguintes, e retomada com renovada importância no período barroco. Muitas vezes, esta estrutura é a original, tendo sido integrada nas reedificações setecentistas, ou foi acrescentada nesta época. No caso da Torre de Alvite, as informações disponíveis não nos permitem perceber, claramente, se a torre já existia, mas é mais provável que seja contemporânea da casa. Esta tradição das casa-torre ganhou, no século XVIII, maior requinte, "na medida em que a torre é francamente aproveitada pelo seu valor arquitectónico, num conjunto em que é elemento preponderante", continuando, também, a desempenhar um importante papel de afirmação senhorial (AZEVEDO, pp. 79-80).
Das fachadas abertas para o pátio, ganha especial importância a que se adossa à torre, aberta por uma arcaria de volta perfeita, no piso térreo, e por uma varanda alpendrada, suportada por colunelos, no piso superior.
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

O Minho Pitoresco

Local

Lisboa

Data

1887

Autor(es)

VIEIRA, José Augusto

Título

Solares Portugueses

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de

Título

Palácios e casas senhoriais do Minho

Local

Porto

Data

2000

Autor(es)

STOOP, Anne de

Título

Casas Nobres de Portugal

Local

Lisboa

Data

1987

Autor(es)

BINNEY, Marcus