Saltar para o conteúdo principal da página

Casa da Torre - detalhe

Designação

Designação

Casa da Torre

Outras Designações / Pesquisas

Casa da Torre de Alvite / Torre do Outeiro (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Cabeceiras de Basto / Alvite e Passos

Endereço / Local

- -
Alvite

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 740-AR/2012, DR, 2.ª série, n.º 248 (suplemento), de 24-12-2012 (ver Portaria)
Anúncio n.º 13383/2012, DR, 2.ª série, n.º 172, de 5-09-2012 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 19-12-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Proposta de 16-11-2011 da DRC do Norte para a classificação como MIP
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de abertura de 10-07-2001 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de abertura de 9-07-2001 da DR do Porto do IPPAR
Proposta de classificação de 18-03-1985 da CM de Cabeceiras de Basto

ZEP

Portaria n.º 740-AR/2012, DR, 2.ª série, n.º 248 (suplemento), de 24-12-2012 (sem restrições) (ver Portaria)
Anúncio n.º 13383/2012, DR, 2.ª série, n.º 172, de 5-09-2012 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 19-12-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Proposta de 16-11-2011 da DRC do Norte

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Edificada, muito possivelmente, no século XVII, mas profundamente remodelada na centúria seguinte, a casa da Torre de Alvite destaca-se pelo conjunto de volumes que a caracteriza, numa disposição dinâmica, e muito cenográfica.
Não sabemos a quem se deve a sua construção, muito embora o seu primeiro proprietário conhecido, João Leite Pereira, aqui tenha falecido em 1689. Nesta época, deveria existir um núcleo habitacional, posteriormente reedificado por Rozendo de Abreu Leite Pereira (sobrinho-neto do primeiro), uma vez que é o seu brasão que figura sobre o portal (STOOP, 2000, p. 110).
O núcleo principal da casa é formado pela capela, pela torre e pelo portal armoriado, de acesso ao edifício habitacional, desenvolvido em torno de um pátio interno, descoberto, com uma fonte ao centro. A capela, de planta longitudinal, apresenta fachada profusamente decorada, com portal de verga recta coroado por frontão de aletas, interrompido por vieira. Dois óculos envoltos por enrolamentos abrem-se sob o entablamento que suporta o frontão semicircular, interrompido por vieira e cruz. O tímpano apresenta nicho central e no prolongamento das pilastras laterais elevam-se os pináculos. Dedicada à Sagrada Família, a capela comunica com a torre através da porta do coro. O retábulo-mor, em talha pintada em tons de branco, é de estilo joanino.
Em ângulo com a capela, encontra-se a fachada com portal de linhas rectas, encimado pelo brasão de armas, que faz elevar a cornija, formando um frontão semicircular, coroado por pináculos. Na intersecção destes dois volumes, ergue-se a torre, de três pisos, rematada por merlões chanfrados. Sem qualquer função defensiva, a torre pode ser entendida como uma sobrevivência de um dos modelos mais utilizados pela arquitectura civil medieval do Norte do país, prolongada pelos séculos seguintes, e retomada com renovada importância no período barroco. Muitas vezes, esta estrutura é a original, tendo sido integrada nas reedificações setecentistas, ou foi acrescentada nesta época. No caso da Torre de Alvite, as informações disponíveis não nos permitem perceber, claramente, se a torre já existia, mas é mais provável que seja contemporânea da casa. Esta tradição das casa-torre ganhou, no século XVIII, maior requinte, "na medida em que a torre é francamente aproveitada pelo seu valor arquitectónico, num conjunto em que é elemento preponderante", continuando, também, a desempenhar um importante papel de afirmação senhorial (AZEVEDO, pp. 79-80).
Das fachadas abertas para o pátio, ganha especial importância a que se adossa à torre, aberta por uma arcaria de volta perfeita, no piso térreo, e por uma varanda alpendrada, suportada por colunelos, no piso superior.
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

O Minho Pitoresco

Local

Lisboa

Data

1887

Autor(es)

VIEIRA, José Augusto

Título

Solares Portugueses

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

AZEVEDO, Carlos de

Título

Casas Nobres de Portugal

Local

Lisboa

Data

1987

Autor(es)

BINNEY, Marcus

Título

Palácios e casas senhoriais do Minho

Local

Porto

Data

2000

Autor(es)

STOOP, Anne de